segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O lado bom, o lado ruim e o lado real...


As redes sociais tem um lado bom e um ruim que eu queria ressaltar.

Um lado bom foi fazer com que todos discutam sobre política... Um lado ruim foi fazer com que TODOS discutam política.

Uma verdadeira competição de que político roubou mais, que partido roubou mais.

Agora: vocês já pararam pra pensar que, tanto os políticos do PSDB como os políticos do PT (e dos demais partidos, claro) saem do povo? E que é o povo que os escolhe, elege, re-elege e mantém no poder?

Não é assustador pensar nisso?

Pois é...

Música do dia

Pra começar a semana sem pressa...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Música do dia

Estivemos fora do ar por um tempo, devido a um defeito financeiro na minha internet, mas estamos de volta...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Divisões

Discutir direitos humanos dos presos rebelados é o mesmo que tentar discutir a liberdade de expressão pós Charlie Hebdo! Sempre vai ter quem defenda e quem condene.

Mas duvido que, depois de ver o video dos meninos do Complexo Prisional do Curado fatiando (literalmente) um coleguinha, alguém vá querer que eles tenham as penas revisadas e saiam mais cedo do antigo Aníbal Bruno. Aliás... duvido que queiram que saiam.

Quer ver deixar mais dúvidas? Quem viu as cenas do esquartejamento ficou chocado, claro. Como alguém faria tal crueldade com "outro ser humano"? Bom... logo depois veio a informação (não confirmada) de que o esquartejado era "tarado" (estuprador)... e aí? Mais uma vez as opiniões se dividem.


É difícil discutir em tempos em que a liberdade de expressão é tanta que as pessoas começam querer colocar limites.


Tem coisas que não deveriam ser discutidas. Deveria prevalecer o bom senso... mas o bom senso de quem?


E com todas essas questões, ainda tenho que me preocupar com meu dinheiro que vai expirar em 3 dias...

Música do dia

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

E por aí vai...

E as notícias de ontem, hein? Difícil não falar do governo, por mais que eu venha tentando... Onze estados sem energia... apagão. Tava esperando pra saber a causa e qual não foi o meu espanto ao ouvir os especialistas informarem que houve um aumento grande no consumo, o que provocou a pane.

Na hora me lembrei de uma época muito distante, onde a falta de planejamento provocou os apagões (eu usei o termo apagão antes? Por favor me perdoe... ) da era FHC. O povo consumindo energia demais.. teve que pagar por seu crime. Se ultrapassasse sua "quota" de energia, a mesma era cortada por 24h. Sem falar que tivemos que passar a usar lâmpadas fluorescentes e fomos obrigados a economizar.

Circulava um texto, atribuído a Millôr, que xingava o governo porque economizar, o povo já economizava antes, por causa do preço alto da energia elétrica e era obrigado a usar ainda menos.... Fico pensando que lâmpadas vão inventar agora...

E os impostos, hein? Subiram também. Importados, gasolina e até os juros dos empréstimos. O crédito vai ficar cada vez mais caro...

E você se matando pra defender o cordão azul e o cordão encarnado. Taí... o encarnado "encarnou" o azul, o Chapolin morreu e agora ninguém poderá nos defender.

Minha vingança será quando vierem confiscar a poupança de novo. Não tenho porra nenhuma nela mesmo...

E ainda faltam 3 dias pra que 50 e poucos reais meus expirem... 40 e pouco reais em créditos de ônibus... ah... então não é dinheiro...


Música do dia

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Este dinheiro se auto-destruirá em...

Oito da manhã... ônibus lotado... trânsito parado... momento ideal para pensar, divagar... menos escrever em pé e só com uma mão. Mas quem se importa, não é?

Aí começo a pensar sobre a mensagem que recebi ao passar na catraca. Ela dizia que em 9 dias, 79 reais em crédito vão "expirar". Venho recebendo essa mensagem desde quando faltavam 30 dias. Mas só hoje, depois do aumento das passagens e por estar sendo esmagado num coletivo atinei para o fato.

É como se eu comprasse uma televisão e o vendedor me dissesse "Você tem 30 dias pra usá-la senão eu vou buscá-la de volta e você perde seu dinheiro".

Né lasca? Se eu comprei, paguei pelo produto/serviço, eu uso quando quiser essa porra.

Por acaso o dinheiro que a gente recebe vem com aquela mensagem de Missão Impossível alertando que este dinheiro se auto-destruirá em 30 dias após recebê-lo? Se bem que, no meu caso, ele some bem antes... mas não vem ao caso.

Eu queria saber com base em que dispositivo legal as empresas de ônibus (e as de telefonia também) podem pôr validade no meu dinheiro...

Tenho certeza que, no Brasil, deve ter algum. Afinal, para o governo botar no rabo do povo, existe dispositivo legal desde Cabral até Dilma.

Mas eu vou tentar descobrir qual é pra ver se entro com uma ação contra. Mesmo sabendo que, se ganhar, a dívida do governo será transformada em precatório... que também tem prazo de validade... mas só pra quem espera receber... pelo menos apurrinho alguém. Nem que seja fazendo-o perder tempo...

É.... e nada desta porcaria de ônibus/trânsito andar...

Música do dia

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Sont tous les décès

Fico me perguntando o que caracteriza uma tragédia. Quando se referir a algo como uma tragédia? A quantidade de mortos? Tava pensando nisso depois do crime cometido por terroristas lá na França. Foram 12 mortos. Na chacina de Columbine foram 13 mortos. No massacre da escola de Realengo foram 12 mortos. Todos tem uma coisa em comum: um grande número de mortos em um só local. Talvez seja isso o que choque...

Afinal, aqui na Região Metropolitana, um número de homicídios bem próximo aos das chacinas citadas acima são registrados diariamente... diariamente! E não é que não cheguem ao conhecimento do grande público. Chegam sim... são amplamente divulgados através dos programas "policiais" que o povo assiste enquanto almoça... e a audiência é grande, viu?

Talvez, por ter voltado a trabalhar com notícias, que a morte dos 12 franceses, em teoria colegas de profissão, não me choque mais que o normal, não me comova mais que o necessário pra ser considerado humano. Mais que isso seria hipocrisia... minha...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Nem Wittgenstein...

Como o mundo ficou pequeno... A gente costumava dizer que o mundo era um ovo mas com o advento das redes sociais o negócio avacalhou. E a definição de mundo e de quem habita nele ganhou inúmeras denominações. Passaram a denominar mundo as suas timelines. De acordo com o que as pessoas vêm em suas linhas do tempo vem as generalizações.

"Tá todo mundo louco"; "Todos ficaram burros" e coisas do gênero são frases comuns. Sei que sempre fomos egocêntricos (basta lembrar de "afirmações" como termos sido criados como imagem e semelhança de Deus...), mas a coisa ficou séria.

O que mais tem hoje é juiz; que sentencia a partir de cada afirmação que aparece em uma timeline. A partir de algo que você escreve eu te digo quem você é, o que pensa e como age. Tudo em cima do discurso único, do conhecimento unilateral. E o povo ainda fala dos juízes que dão voz de prisão a agentes de trânsito e funcionários de companhias aéreas...não é engraçado(?)

Menos, gente, menos... Lavar uma trouxa de roupa abre mais a sua mente. Falo por experiência própria.

PS: O autor aceita doações de máquina de lavar :p

Música do dia

Don't wanna wait 'till you know me better... é por aí.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Sobre planejamento ou falta de.

Primeiro dia do ano. Aquele dia em que a pessoa acorda, de ressaca, tentando lembrar as promessas que fez... lembra de algumas mas nem anota. Fica naquela torcida esperando que o ano novo traga isso, traga aquilo. No final, apenas torce pra que o ano novo leve a ressaca embora.

Como eu voltei a trabalhar no maravilhoso mundo das notícias, meu réveillon começou às 20h, quando cheguei em casa e liguei o ar condicionado. Mas o bicho pegou mesmo lá pelas 21h, quando já estava dormindo. Estar de plantão, dobrando no primeiro dia de janeiro propicia esse tipo de virada de ano. Tive o privilégio de dormir até às 03:30h da manhã, me arrumei e lá fui pra TV. E assim começou o ano. Pelo menos não teve nenhuma mulher esquartejada como na véspera, o que já considero lucro.

E neste primeiro dia do ano, particularmente, vejo o quanto eu não planejo meus planejamentos. É que dentre as metas que tracei, está a de sanar minha saúde financeira. Veja só o ano que escolhi pra isso... 2015 já nasceu com a forte suspeita de ser um ano muito ruim para a economia do país. Aí, nesse ano, justo nesse ano, eu resolvo me ajeitar? É... mas não vou usar isso como desculpa não. Vou tentar. O máximo que pode acontecer é não conseguir sanar tudo. O que sei é que, com as profissões que escolhi, vou ter que trabalhar "um pouquiiiiiinho" a mais pra conseguir equilibrar a balança.

O negócio vai ser focar no foco.

E "vamo que vamo"

Música do dia

Another year, another life...