quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Sobre médicos brasileiros e cubanos


É difícil fazer qualquer juízo de valor... Vamos esquecer as vaias dos mal educados e alguns despautérios ditos por outros em outras ocasiões e vamos nos ater ao Macro.

Por que existem locais onde não há médicos? Seria somente falta de interesse? Coisa de "não quero morar no interior"? Todo mundo sabe que a saúde pública está sucateada... e faz tempo. Faltam equipamentos, leitos, remédios, material básico... segundo o post de um amigo meu, faltam quase 300 medicamentos na farmácia do Estado (daqueles medicamentos importantes e caros, dados gratuitamente a quem precisa... mas só quando tem, né?)... diante de tudo isso, por que não faltariam médicos?

A questão vai além do protecionismo corporativista ufanista. Ninguém gosta de trabalhar onde não há condições de se trabalhar; onde não há a infraestrutura mínima necessária para se desempenhar seu serviço. Muito menos quem tem que driblar a morte e manter o maior número de "clientes" vivos.

A vinda de médicos estrangeiros não fará mal algum. Não vai tirar o emprego de ninguém, já que eles vão trabalhar onde ninguém queria trabalhar. Não vai mascarar o sucateamento da saúde pois nunca conseguiriam, mesmo que quisessem, criar a infra necessária da noite para o dia. Na minha opinião, seria exatamente o inverso: a situação da saúde pública brasileira será exposta internacionalmente (afinal, esses médicos estrangeiros devem ter Facebook, twitter, etc... aí já viu, né?). E, talvez, a vinda desses médicos de fora faça com que os daqui pensem duas vezes antes de "diagnosticar" virose (pra não falar de outras atrocidades).


Música do dia

I love the blues
They tell my story...

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Rapidinha

Pelo que ando lendo, está sendo mais honroso dizer "meu filho é ladrão", "minha filha é puta" do que dizer "meu/minha filho/a é medico/a brasileiro/a".

Depois do vexame da recepção aos médicos cubanos no Ceará, médicos de verdade usam máscaras não só por assepsia, mas para não serem reconhecidos... sabe como é a vergonha, né?

Estratégia

O post de um amigo meu numa rede social (frescura não citar, né? No Facebook mesmo...) me chamou a atenção a outra coisa que eu considero característica de terceiro mundo: a facilidade com que o povo deixa seus interesses pra lá. Ou seja: engole qualquer desculpa e se deixa levar até esquecer do que reclamava.

O post falava que, mais uma vez, a Câmara de Vereadores do Recife tinha cancelado a audiência pública (e a discussão sobre a instalação de uma CPI) sobre a Celpe (Companhia Elétrica de Pernambuco). Para os que não leem jornais, não acompanham notícias, etc, mais de 30 pessoas morreram eletrocutadas somente este ano. Eletrocutadas por fios da Celpe... caídos, desencapados...  Existe, até, uma Fan Page pra que esses casos não caiam no esquecimento.

E é sobre o esquecimento que quero falar. Desde que cheguei no Brasil, em 1979, que já se falava que o brasileiro tem memória curta. Isso sempre foi dito para "desculpar" as merdas que o povo faz na hora de eleger quem os representa.

Pois bem... sabendo disso, os "nobres" "representantes" do povo fazem das tripas coração para adiar, postergar, preterir, excluir, etc casos em que tenham que tomar atitudes contra pessoas/empresas que podem mexer significativamente em seus bolsos. Por isso que CPI's contra grandes empresas, corporações, etc não são instauradas, são engavetadas, esquecidas, preteridas... e mesmo quando são instauradas e tem prosseguimento até o fim, não dão em nada.

O povo esquece... não cobra! E eu pergunto: até quando você vai esquecer que é tratado como idiota? Ou já esqueceu que tudo o que foi prometido durante os protestos recentes já foi esquecido?

Música do dia

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Explica muita coisa...

Eu vivo falando das esperanças de que, um dia, o povo aprenda a votar, cobrar pelos seus direitos e o escambau e esqueço de um ponto que pode ser um dos principais motivos pra que a merda continue merda. É que o Brasil tem umas das características principais dos países de terceiro mundo: controle através do medo.

Através da imposição do medo, grupos conseguem se perpetuar no poder, seja em que estância for. Surras e assassinatos em público, intimidação ou a simples perseguição (que não permite que a pessoa consiga "andar pra frente").

Pra quem achava que eu me referia ao período da ditadura, ledo engano. Me refiro a tempos atuais. Situações que acontecem em favelas do Rio de Janeiro, São Paulo... e não precisa ir tão longe. Me lembro de quando trabalhei em um campanha pra deputado estadual. Uma senhora foi até o comitê pedir santinhos do candidato.

Com minha costumeira simpatia, respondi dizendo que não estávamos contratando mais ninguém (era muita gente que ia pedir pra ser contratado pra segurar bandeiras, cavaletes, etc). Ela respondeu dizendo que não queria trabalhar, apenas gostava do candidato.

Prontamente peguei um bolo de santinhos e alguns cartazes pra ela levar. Ela pegou os santinhos e me devolveu os cartazes explicando:


- Vou levar só os santinhos, que eu posso esconder e distribuir fora da minha comunidade. Lá onde eu moro, o matador já avisou que é pra votar em fulano (um candidato que, por "coincidência", era ex-delegado) senão, vai morrer gente...


Espalhe casos como esse por todo o Brasil e fica fácil entender como ladrões cara de pau conseguem se perpetuar no poder...

Música do dia

Pra começar a semana com estilo...

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Me diz aí...

De que adianta sair em passeata, quebrar vidraças de lojas e cinemas, apedrejar carros, botar a imprensa pra correr, queimar ônibus se, na verdadeira hora de promover mudanças, que é a hora de votar, você vai fazer merda (de novo)?

Me diz o quanto você ter sido babaca e imbecil vai melhorar o transporte, vai melhorar a qualidade do ensino e da saúde...

Fala aí o quanto você deixou os políticos com medinho de você porque você se tornou violenta...

E o principal: quanto apoio da população você conseguiu angariar?

Agora: depois de responder a essas perguntas, você, revolucionáriozinho Restart, não sente vontade de se matar não?

Pois devia...

Música do dia

Som de primeira!!!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

É um mistério...

Outro dia eu falava sobre o amadurecimento das mulheres. Que acontece mais cedo e tudo o mais. Mas, outro dia, me deparei, mais uma vez, com um fato estarrecedor, capaz de mudar conceitos. 

Lá estava eu caminhando, no meu percurso habitual, passando pelas bancas de revistas e uma publicação, voltada para o público teen feminino me saltou aos olhos. Não lembro qual era, mas lembro do conteúdo. Exatamente o mesmo de quando minha irmã era adolescente e lia essas “revistas”. 

Querida, Capricho, Toda Teen, etc, etc, etc... todas iguais, com o mesmo tipo de “conteúdo”. Lembro, da época que minha irmã era adolescente e assinava uma dessas revistas. Um belo dia peguei uma pra folhear... 

Matérias (???) tipo “10 frases que se seu gato falar é porque realmente gosta de você”; “Sua amiga está usando a mesma roupa que você. E agora?”; “Os garotos abrem o jogo e dizem como deve ser uma garota descolada” e outros despautérios. 

Nessa matéria (???) sobre as frases que comprovam se o cara, realmente, gosta da garota, li as frases e principalmente os comentários feito pelo(a) “jornalista”... coisas do tipo: 

- Não amor: eu não me importo que você roa unha! 
# Pôxa gata! Você está arrasando. Se o seu gato não se importa com suas pequenas manias é porque ele não liga para os pequenos defeitos que você possa ter. 

- Não amor: eu não vou jogar bola com os amigos. Vou ficar com você. 
# Ah, gata! Aí você arrasou geral. Se seu gato troca o programa sagrado com os amigos pra passar essas horinhas com você, é porque ele te ama e muito. Depois passa aqui na redação é dá o toque pra gente de como se faz isso. 

Cara... cada matéria que sei não, viu? Negócio sério mesmo. Nem sei de onde conseguiam tanta criatividade pra falar merda. Deve ser por isso que não existem publicações voltadas exclusivamente para o público teen masculino. Ou são revistas de super-heróis, coisas bizarras, carros, motos e futebol ou nada.

Daí, fico me questionando com afinco: lendo todas essas baboseiras, como é que as mulheres* conseguem amadurecer mais cedo? 

*Sei que não são todas as mulheres que leem essas porcarias. Mas pela quantidade de publicações que existem para o segmento, tampouco são algumas poucas.

Música do dia

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Não vale a pena fiscalizar camisinhas...

Começando a semana com polêmica (tcha-ram!!!!). Há alguns dias, meu brother Rico, em seu blog "Who Farted?" causava polêmica publicando os 986 erros das mulheres na cama. Em um dos tópicos, ele citava, sem muito aprofundamento, que homens podem fingir o orgasmo. Algumas amigas logo vieram falar que era impossível o homem fingir o orgasmo, que a mulher perceberia que é fingimento. Pois bem! 

Eu digo que é possível, sim, o homem fingir o orgasmo (a pergunta correta, na minha humilde opinião, seria pra que fingir, né não?). É até bem simples... se ele estiver usando camisinha. Um pouco de encenação, uns gemidos mais altos e cai. Pronto. Gozou. Ou não... Como está de camisinha, sua parceira não vai saber. Daí é pedir licensa, ir ao banheiro e se livrar da prova do crime. 

 Pronto. Agora que plantei essa "nóia" na sua cabeça, amiga leitora (se é que há alguma), pra que você não tenha de passar pelo mico de se tornar uma fiscalizadora de sêmen em preservativos, aqui vão algumas dicas pra que você não "sofra" com a dúvida. 

1) Sempre que você se indagar "Eu devo usar Dermacyd (ou qualquer outro sabonete íntimo)?", a resposta deve ser sempre sim. Vá por mim... o não uso pode ser desmotivador, brochante e fedorento. 

2) O fato de você ser gostosa não faz de você boa de cama. Não basta transar... tem que participar. 

3) Analise bem a situação quando você pensar "Canalha... gozou gostoso e depois sumiu". Vale a pena revisar os itens 1 e 2. 

4) Sempre que você pensar "Coitado... gozou tão rápido... só pode ter ejaculação precoce..." revise os itens 1 e 2 novamente. Ele pode não ter gozado... pode estar, apenas, querendo não estar mais com você. 

Com essas dicas, fica tudo mais simples, né não? Ou você prefere verificar as camisinhas usadas?

Música do dia

E assim começa a semana...

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Blasfêmia


Cara... se tem algo que eu odeio é ter que me explicar quando digo que gosto de funk. Na verdade, eu odeio ter que me explicar. E por esse motivo, ainda mais.

Desde que os cariocas decidiram chamar aquele ruído que eles fazem de funk que eu fico puto quando digo que gosto de funk e as pessoas me olham com aquela cara de "como assim?"

Quando eu digo funk, é o verdadeiro; original... o único que merece esse nome. Aquele imortalizado por nomes como James Brown, George Clinton, Parliament, P-Funk All Stars... só pra citar alguns dos mais famosos.

Maldita hora em que ouviram uma única batida de Afrika Bambaata e acharam que estavam "criando" um estilo musical. Não consigo nem ouvir mais Planet Rock por causa disso.

E tão ruim ou mais que me explicar quando digo que escuto funk é ouvir esses "seres" dizerem que "curtem funk" e se auto-denominarem "funkeiros". Chega a ser uma blasfêmia...

Deus tenha piedade... dos nossos ouvidos, porque deles...

Música do dia

Tem cara de sexta-feira...

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Pela igualdade... (?)


Cara... a luta pelos direitos iguais entre homens e mulheres está se transformando em uma faca de dois gumes. E acaba criando tendências (e eu me divirto).


Sabe o que eu ouvi? Que já existe uma tendência entre os homens de, após dois encontros, se a mulher não rachar a conta em nenhuma das vezes, não haver um terceiro. Já pensasse?

Música do dia

Das antigas...

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Música do dia


These boots are made for walking
and that's just what they'll do
One of this days these boots
Are gonna walk all over you

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Por que homens preferem mulheres mais novas?

Título sugestivo. Nem sei se já falei sobre isso por aqui. Se já falei, vou falar de novo. A resposta está na maturidade precoce. Simples assim! Não parece óbvio?

Todos nós sabemos que as mulheres amadurecem mais cedo que os homens. O homem continua tabacudo durante muuuuito tempo (eu sou uma prova viva disso que estou falando). E por isso, nós (ou pelo menos a maioria de nós), homens, ficamos frustrados porque não conseguimos agarrar ninguém durante o período escolar, científico (ainda se chama assim). Só na época da faculdade é que as coisas começam a dar uma melhorada.

Homem é assim mesmo. Não dá atenção à idade que tem. Pra que, né? O homem continua (ou pelo menos tenta continuar) tirando onda, zoando, saindo, ou seja, brincando como sempre o fez (até que apareça algum empecilho, leia-se problema de saúde. Mas mesmo assim, dá um jeito). Demora a amadurecer.

As mulheres não. Amadurecem com uma rapidez incrível. E acabam perdendo o encanto que as brincadeiras, zoação, etc tem. Começam a se tornar "senhoras". E começam a se censurar, cortar hábitos que, até, gostavam mas em detrimento da idade, deixam de lado. Pior: começam a querer cercear a liberdade de seus pares com frases tipo "você não tem mais idade pra isso", "tá ridículo querendo parecer garotão", "parece criança", imaturo" e a boa e velha "quando você vai crescer?"...

Com isso, claro que os caras vão procurar mulheres mais novas... compatíveis com sua idade mental. Divertidas, dispostas a passar por situações bacanas mas que senhoras não passam...

Claro: existem exceções. E estas exceções não reclamam da "falta de homem". Pelo contrário: continuam curtindo a vida, vendo o lado divertido das coisas e com companhia sempre que querem.

Amadurecer, crescer não significa se tornar sisudo, escanteando o lado divertido das coisas (nem buscar diversão em coisas chatas, pelamordeDeus). Significa, apenas, saber que é necessário um pouco de responsabilidade para gerir a vida.

É por isso que homens preferem mulheres mais novas: pela leveza de ser meio Peter Pan.

É isso o que eu acho!

Música do dia

A pegada é essa...

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Sobre histórias


No fim das contas, todo mundo quer viver um grande amor. Daqueles de comédia romântica e que deixa com borboletas no estômago (nunca achei que usaria esse termo). E "todo mundo" me inclui.

Antes que alguém comece a dizer "se rendeu" ou "sabia que era só fachada" (porque, sim, o povo adora apontar um deslize seu... há todo um gosto mórbido nisso), aviso que essa declaração não muda em nada meu comportamento, posicionamento, caráter, índole ou o que for.

Todo mundo quer viver uma linda história de amor. O problema é que a maioria das pessoas coloca isso como meta; prioridade; razão de viver. Deixam de curtir muitas histórias boas em prol da espera pelo amor perfeito. Se negam muitas coisas boas porque querem se guardar para essa linda história de amor... que pode nunca acontecer (tchãram!!! tá vendo?)

Como todo mundo, eu também espero viver uma grande história de amor... daquelas de filme. Mas não é minha meta e não saio correndo atrás do amor final. Talvez eu já tenha vivido a minha história de amor... talvez não haja outra... talvez não... haja outra. O fato é que não faço disso minha meta a ser alcançada a qualquer custo. E por isso, vivo muitas histórias... e todas elas são ou foram boas (mesmo que tenham tido coisas ruins no percurso em que duraram). 

E por isso, também, que as pessoas acham que eu sou um solteirão convicto, que vou morrer sozinho, que sou avesso a relacionamentos (sem falar naquelas pessoas que pensam e afirmam - santa sei lá o quê, Batmam - que eu sou, apenas, uma fachada).

Como já disse por aqui, não estou fechado para relacionamentos. Apenas vivo histórias... quem sabe, numa delas, dá um um estalo e ela se torna "A" história?


Tudo é possível enquanto há vida!

Música do dia

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Sobre reuniões e economia.


É... eu realmente não consigo entender. Em tempos atuais, onde vivemos com Facebook (e seu chat), Google alk, Skype, Hangout, etc, tem gente que ainda faz questão de marcar reuniões com presença física. Em muitos casos, sim... é necessário o "olho no olho". Mas na grande maioria das vezes, não é necessário se encontrar fisicamente pra tratar determinados assuntos.


Um primeiro contato pra realização de um serviço, onde se discute o que é, quanto custa, etc, não é necessário estar presente. Chat, Google talk, skype, resolvem muito bem essas paradas. Ainda mais em tempos em que Recife adquire todos os problemas de uma grande cidade (e só os problemas), entre eles trânsito caótico e falta de vagas para estacionar.

Como todos sabem, tempo é dinheiro. E o tempo que se perde no translado para ir a uma reunião desses é puro prejuízo. Afinal, você vai perder, por baixo, uma hora pra ouvir um sim ou um não (e se for não, aí é que foi prejuízo mesmo... dos grandes).

Essa reunião virtual também serve para acompanhamento de determinados tipos de trabalho (tem alguns que é necessária a presença física, como e obras de construção, mas isso é óbvio demais, né?)

Eu vou mais além: creio que você ainda pode começar e terminar relacionamentos. Evita muitos constrangimentos, situações desagradáveis, enfim, é bem mais prático (mas para começar e terminar, apenas).

Vamos, todos, entrar de vez no século 21, gente. É uma praticidade que acaba se tornando economia.

Música do dia

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Música do dia

Não só por ser dia de Blues no Bazza, mas também porque hoje se comemora 76 anos de nascimento de Morris Holt, mais conhecido como Magic Slim. Um dos bluesman que tive o prazer de ver um show. He's a bluesman...


terça-feira, 6 de agosto de 2013

Música do dia

Nem parece mas hoje faz um ano que um dos grandes nomes do Blues e do Rock nacional deixou o plano físico. A música do dia, hoje, é uma reverência a Celso Blues Boy. Aumenta que isso aí é som!!!


Celso Ricardo Furtado de Carvalho (Celso Blues Boy)
05/01/1956

06/08/2012

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Já dizia o Conde...


E de repente, está tudo assim: do jeitinho exato que você não esperava. Putz! Não saiu nada como você queria. Como todo ser humano é vaidoso, você se pergunta: "onde foi que EU errei?" ou "o que EU fiz de errado?", e começa a revisar todo o "plano" e os caminhos que ele tomou.

Como, além de vaidosos, somos falhos, muitas vezes você realmente cometeu um erro, um deslize... as vezes imperceptível mas que se torna bem visível no final. As vezes...

As vezes não houve erro nenhum... nenhum deslize. E por mais que você tivesse se programado, estudado a situação, se planejado, não dá certo! Fatores externos? Quem sabe... Mas por que isso acontece? A resposta é simples e foi o Conde quem a deu: "Porque, meu bem, ninguém é perfeito e a vida é assim". Simplista demais? Talvez... mas com o passar do tempo você descobre que nem tudo tem um "porque". 

Mas não há porque desesperar... relaxa e vai de volta à prancheta de estudos. É hora de um novo plano.

Música do dia

Deus não está morto! Boa semana a todos!!!