quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Essa campanha é séria?

Meus vizinhos de sala me disseram hoje que, em detrimento do aumento do número de homossexuais masculinos, as mulheres hétero lançaram uma campanha:

"Ei! Eu também tenho ânus* ".

Pelo visto, o desespero tá grande...

*linguagem adaptada para o Junkie

Ahhh.....



Ah, a minha empáfia...

O que seria de mim sem ela?

Ele está de volta

Rafael Araújo, o ombundsman da estupidez humana, também conhecido como colaborador do Junkie, está de volta e nos brinda com mais uma pérola...

"Sabe aquela música em inglês que você adora, mas não faz idéia do que diz a letra? Cuidado sobre o que vai falar sobre ela por aí e pesquise a tradução antes de dedicá-la ao seu amado ou amada em alguma rádio popular, pois a linda canção pode não ser nada romântica. Semana passada mesmo estava eu trabalhando e escutando Hotel California, do The Eagles, quando passou um sujeito e me disse:

- Hum, tá roendo, é?

- Pois é, acho super romântico estar preso em um hotel malassombrado – respondi.

Acontece com muitas músicas que o povo acha que são românticas e, pasmem, até entram em coletâneas (brasileiras, claro) tipo Love Songs. Mas essa confusão causada pelo desconhecimento da língua inglesa não é só “privilégio” dos românticos sem noção, atinge também a minha classe musical: a dos headbangers-rockeiros-metaleiros-blueseiros e afins. O ano era o emblemático 2000, o local era o saudoso Dokas no Recife Antigo e a atração principal da noite era o britânico Paul Di’Anno, ex-vocalista da cultuada (e minha favorita) banda de heavy metal Iron Maiden. O cantor agitava a platéia gritando em inglês:

- VOCÊS QUEREM ROCK 'N ROLL?!?!
- AÊÊÊÊ!!! URRÚÚÚ!!! - respondia entusiasmado o público.
- Bom, é muito legal poder voltar aqui nessa cidade...
- AÊÊÊÊ!!! URRÚÚÚ!!!
- Gravamos um novo álbum e temos algumas músicas novas...
- AÊÊÊÊ!!! URRÚÚÚ!!!

Paul fez uma pequena pausa e perguntou:
- Vocês estão entendendo o que eu falo?
- AÊÊÊÊ!!! URRÚÚÚ!!!

Ele deu uma risadinha, foi no canto do palco, pegou duas maçãs em uma mão e com a outra colocou uma banana em cima. Ou seja, ficou a representação de um órgão genital masculino. Depois perguntou ao público:

- E isso aqui, sabem o que é?

O povo ficou com cara de "Hã? Como assim?". E o show prosseguiu."

Música do dia

Good morning blues... hoje tem Handmade Blues no Oi Blues by Night




terça-feira, 30 de agosto de 2011

Incrível...

Incrível como a morte torna as pessoas boazinhas. Gente que, enquanto caminhava sobre a terra era considerada um porre, pelo simples fato de morrer, fica boazinha, etc, etc...

É a indulgência da morte.

Será que vai funcionar comigo?

Música do dia

Música do dia. Ritchie Kotzen canta The Four Tops... versão show de bola.




segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Novidade

Pelo menos pra mim. Afinal, o máximo de contato que eu tenho com cobradores de ônibus é um aceno de cabeça (que quer dizer "bom dia", "boa tarde" ou "boa noite". Mas hoje de manhã fui pego de supresa.

Subo no busão e quando vou pagar, a cobradora começa:

- "Menino... levei uma queda hoje, visse? Nem sei como é que eu tô aqui..."

E começou a narrar toda a sua desventura matutina. Aproveitou que não tinha mais ninguém fora eu pra passar na catraca e começou um diálogo, que graças aos acenos de cabeça (único tipo de comunicação que desenvolvo com quem não conheço) era mais um monólogo.

Aí você pergunta:

- "Por que você ficou lá esse tempo todo, ouvindo uma história que não te interessava em nada?"

É bem simples de responder: já faz algum tempo que quem libera a catraca para que o passageiro passe é o cobrador; no caso de hoje, a Forrest Gump do ônibus.

E assim começou o dia...

Música do dia

Já tem uns 4 dias que escuto essa música sem parar..




sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Perguntar não ofende...

Sou só eu que acho que essas pessoas que "resolvem" tomar pra si a "luta pela preservação da cultura", indo até a Assembléia Legislativa, Câmara de Vereadores, Fundarpe, exigindo verbas e contratos (para si, inclusive), estão apenas querendo vender seus shows, que não são contratados pelas vias normais, ou seja, clamor popular?

Justiça...

A mulher que confessou ter mandado matar o próprio pai foi absolvida. Juro que eu tava com medo de que condenassem a coitada.

Ela foi abusada (em todos os sentidos possíveis e imagináveis) pelo pai desde os 9 anos de idade. Chegou a ter 12 filhos do pai (pai não... eu sou pai... aquilo era um fornecedor de esperma com defeito), dos quais sobreviveram 5. E quando o anormal tentou abusar de uma neta, filha dela, de 8 anos de idade, ela resolveu dar um basta.

Segundo relatos da mesma, a mãe sabia de tudo e não tomava nenhuma atitude. Ela chegou a procurar a polícia, que a negligenciou. Desamparada pela família, pela polícia e pelo Estado, ela decidiu tomar as rédeas pra si e, sabiamente, contratou dois caras para matar o pai. Tarefa cumprida. Dever cumprido.

Honestamente, tinha medo que ela fosse condenada, sendo o Brasil como é. Mas, contrariando a lógica, foi feita justiça. Eu ainda reavaliaria a situação dos dois que estão presos por praticarem o crime. Afinal, na minha opinião, eles prestaram um grande serviço a humanidade.

Num país onde a "humanidade" é tão exaltada, onde os "direitos humanos" são tão exigidos, ou seja, onde a hipocrisia abunda, as pessoas esquecem que existem casos cujo a única solução é uma passagem só de ida para o inferno (o que tem um lado humanitário também. Afinal, promove o reencontro de familiares). Casos não faltam para exemplificar. Mas é mais políticamente correto bradar que "todos tem direito de errar e se corrigir". Alguns casos não tem correção, ou como gostam de usar os politicamente corretos, "ressocialização". E eu acho que ainda tem muitos desses casos andando nas ruas.

Salve dona Severina. Pra mim, a sra. é um exemplo a ser seguido.

Música do dia

Thanks to you...


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Warning

Sabe uma das coisas que eu odeio no âmbito profissional (principalmente na minha profissão)? São aquelas pessoas que são "amigas de fulano".

No âmbito pessoal, vá lá que seja... as vezes a gente precisa de uma referência pra lembrar de alguém... Mas no profissional não.

Normalmente, no lado profissional, a pessoa acha que se disser que é amigo de alguém ele terá certa preferência, certo privilégio. Isso pode ser uma faca de dois gumes... principalmente em se tratando de mim.

Minha cordialidade, na esmagadora maioria das vezes, é apenas uma imposição do profissionalismo (e eu nem sou tão cordial assim). Então, cuidado quando você usar qualquer pessoa como referência. Você pode estar citando alguém muito mal quisto e, assim, queimar seu filme.

Depois não digam que não avisei. E quem avisa, amigo é...

Música do dia

Dio antes do Sabbath... One day, in the year of the fox...



terça-feira, 23 de agosto de 2011

Menores 2...

Tem mais uma solução, dada por Fausto Ferreira, não tão drástica e que pode surtir algum efeito: acabar com a porcaria do Estatuto da Criança e do Adolsecente; e criar uma LEGISLAÇÃO rígida que puna menores infratores.

Menores...

Vendo os telejornais de hoje, fiquei pasmo com uma notícia: menores de 12 anos se juntam em gangues para tocar o terror por aí, cometendo assaltos, etc. Quando detidos pela polícia, não se intimidam nem no conselho tutelar (onde destruiram tudo o que puderam), nem na delegacia (onde também destruíram tudo o que puderam), imagina em casa.

Fazem isso porque sabem que, pela legislação brasileira, nenhum menor de 12 anos pode ser detido nem por medida "sócio-educativa". Como disse acima, se nem no conselho tutelar, nem na delegacia eles se intimidam, que dirá em casa?

Daí, volto a reafirmar que: menor infrator não tem recuperação (ou, pelo menos, muito poucos... quase nenhum). Não neste Brasil...

Como resolver isso? A curto prazo: tiro na testa e programas rígidos de controle da natalidade. A longo prazo: educação... Quem sabe no ano 3.415 a gente não escute mais notícias como essa no Brasil?

Minha frase do dia

O sexo como satisfação entre amigos, sem maiores cobranças, é o segredo para um mundo melhor...

Marcelo Demo (10:38am)

Ah... as perguntas...

Eu tava devendo... Tem uma coisa que sempre me diverte no trabalho: as perguntas que fazemos para as pessoas responderem. As respostas que o povo dá sempre me divertem e deixam meu dia mais feliz. Aqui vai uma compilação de 3 dias, apenas com as melhores perguntas e respostas:

Apresentador:
- Quantas horas tem um dia?

Pessoa:
- 12!

Apresentador:
- A galinha cacareja, a vaca...

Pessoa:
- Berra!

Apresentador:
- O gato mia, a galinha...

Pessoa:
- Pia!

Apresentador:
- Qual a capital do Maranhão?

Pessoa:
- Bahia!

Apresentador:
- Contrário de pôr do sol...

Pessoa 1:
- Não sei

Pessoa 2:
- Noite? Manhã?

Isso sem falar nas perguntas que as pessoas pulam. É isso aí... retrato!

Música do dia

Ontem esqueci de escolher uma música do dia. Mas hoje, a falha foi reparada...
Bela música, bela letra... bela...





segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Mais orgulho

De janeiro deste ano pra cá, conto nos dedos da mão esquerda quantas vezes o Banquete esteve vazio ou quase vazio desde que comecei a tocar lá com Handmade Blues. A que devo esse "sucesso"? A resposta salta aos olhos de tão óbvia: o astral dos convidados que vão, praticipam da jam e das bebedeiras e conversas que rolam no bar.

Duas comparações feitas me deixaram, muito feliz: alguém comparou o Banquete ao antigo "Sushi Bar" (que ficava por trás do Sport), lendário bar de Recife onde a Má Companhia fazia a festa da galera que curtia rock. Quantas e quantas vezes não enchi a cara lá, em pé (como muita gente fazia) em cima das mesas, viajando nos solos de Bicudo, Beto Kaiser, e mais alguém que, por ventura, aparecesse por lá (lembro de Nelo Cruz por lá, se não estou enganado). Época muito boa...

A outra comparação foi ao "La Prensa", outro lendário bar de Recife que, graças a banda anfitriã dos domingos (a igualmente lendária Delta Jam) que me enveredei na senda do blues. Kco Correa, Marcílio Braz, Jô Pinto, Rodrigo Morcego, o Comandandte e Alexandre "Bonitão" Machado incendiavam o bar todos os domingos. Você tinha que chegar cedo pra conseguir mesa... e mesmo quando as mesas acabavam, não parava de chegar gente (que ficava em pé, claro).

Quem viveu essas duas épocas pode entender de que clima eu tô tentando falar. E pelo visto, que tem contagiado não só as pessoas que vão pra Jam, mas também quem vai pra assistir ou, simplesmente, tava passando e ficou. Isso porque sempre tem (muitas) caras novas.

Então, este post é mais pra agradecer àqueles que ajudam a fazer e manter esse clima. E que me faz esperar com ansiedade pelo próximo sábado. São eles, em ordem aleatória:

David Ferreira, Rubinho, Rodrigo Morcego, Ju Macedo, Isabella Carrazone, Andressa Melo, Alexandre Bicudo, Marcílio Braz, Gilson "Biu" Jr., Laba, Heudes Régis, Léo Falcão, Bruno Cafo, Luiza Furtado, Aliwton Carvalho, Thiago Fournier, Beto kaiser, François Tardieux, Mair Maia, Gustavo Albuquerque, Alejandro Flores (Titi), Deco Machado, Ivan Jr e, citando os mais novos, Breno Barbosa, Keury Jéssica e Adryana BB.

Caso eu tenha esquecido alguém, por favor apareça. Deve fazer tempo que você não vai...

domingo, 21 de agosto de 2011

Orgulho

- Pai... essa é sua guitarra ou seu violão?


- Meu violão, filha...


- Você toca uma música pra mim?


- Toco sim, filha... que música você quer?


- Toca um rock...




:)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Fashion? Eu?

Querido Junkie...

Veja só o que é a vida... no dia que eu venho fantasiado descubro que sou "in"; que "estou na moda". Tá vendo, querido Junkie?

Hoje vai ter uma festa a fantasia e eu vim disfarçado de catador de algodão (branco, eu sei, mas tentei). Ou seja, com um macacão. Aí, minha querida amiga e produtora (e, pelo visto, consultora de moda, personal stylist ou algo do gênero) Bia Machado chega pra mim e diz:

- "Olha só... na moda"

- "Eu?"

- "É... o macacão voltou com tudo. Ainda mais jeans..."

Eu nunca ia imaginar algo semelhante. Guardo esse macacão (que já tem 13/14 anos de idade) porque me foi dado por alguém muito especial, de quem tenho muito carinho (ah... anos 2000...) e só por isso. Quase nunca uso... mas confesso que gosto de macacão.

Tá vendo, querido Junkie? Eu sou (ou estou) "in"! O que é a moda...

Agradecimento

Querido Junkie...

Eu queria agradecer a Papai do Céu pelo protesto que moradores de Afogados fizeram, queimando pneus e interditando o trânsito exatamente no meu caminho para o trabalho.

Pedi para o taxista, querido Junkie, ir por San Martin, onde encontramos uma batida bem embaixo de um sinal quebrado, interditando o trânsito também.

Tudo isso me fez perder uma hora dentro do táxi e, claro, vários reais a mais que o costumeiro.

E você me pergunta, querido Junkie, por que agradecer a Papai do Céu? Bem simples, querido Junkie: por Ele me mostrar o quanto minha vida pode ficar pior se eu não parar de reclamar...

Por que será...???


Querido Junkie...

Por que na Índia, o povo vai às ruas protestar contra a corrupção, na Espanha o povo vai às ruas protestar contra uma suspeita de corrupção e aqui, no Brasil, o povo só vai às ruas para eventos de crente e parada gay?

Ela voltou...

Querido Junkie...

Sabe quem apareceu de novo? Ela mesma... a anônima. Você também sentia falta dela, querido Junkie? Pois é... quanto tempo né? Saudadona.

Sabe o que eu mais gosto nela, querido Junkie? É que ela sempre vem pra me alertar dos meus deslizes, das minhas falhas.

Sabiamente, ela voltou para me chamar a atenção, alertando que posso estar transformando você, querido Junkie, num diário.

Tá vendo como ela é legal, querido Junkie? Deus me livre fazer de você um diário, um mero espaço para contar minhas histórias, meu dia-a-dia, minhas opiniões, minhas visões de mundo, esperanças, desgostos... Não! Não faria isso com você, querido Junkie.

Fazer isso faria de você, querido Junkie, um mero blog onde eu falaria o que penso e o que estiver afim, sem periodicidade fixa e sem dar o direito a ninguém me cobrar, criticar ou acusar de nada. Nunca na minha vida eu faria isso com você, querido Junkie.

Querida anônima, fiquei feliz com sua visita. Por favor, volte sempre. Lembre-se que sua opinião é muito importante para mim e para o meu querido Junkie.

Música do dia

Querido Junkie...

Na música de hoje tem Black Crowes...
Gosto muito dessa banda. E você, querido Junkie?


Recorde

Querido Junkie...

Ontem houve recorde de visualizações de páginas. O que será que deu no povo que, de uma semana pra cá, todo mundo quer ler?

Se continuar assim, vou começar a vender espaços publicitários aqui. Como disse, quem sabe você me dê dinheiro... Não custa sonhar...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Ok, ok...

Tenho que admitir... a tarde tá sendo bem massa! Mas toda vez que fico de bom humor, temo pela vida do Junkie...

Mas o humor, aquele bom, voltou... e comemoro ao som do que vai ser o bicho em outubro (cujo a letra tem muito a ver comigo...)


CONFIRMADO: MATANZA E FOURPIGS

Essa chegou de última hora e por isso, voltei ao Junkie (afinal, o paletó ficou na cadeira...).

Dia 22 de outubro, no Catamarã, show do MATANZA junto com a (minha banda querida) FOURPIGS. Já está na agenda oficial do Matanza (http://www.matanza.com.br/index_agenda.html) .

Em breve divulgo informações sobre venda de ingressos antecipados.


Não era possível não colocar essa...


Ahhhhhh.... nada como a estupidez humana para me deixar mais felizinho... eheheheheheheh.

Amanhã vocês vão entender. Por hoje, chega de Junkie... agora sim, expediente encerrado. Fica só o paletó na cadeira...

PS: que montanha russa da porra!

E por hoje é só...

O expediente do Junkie encerra por aqui hoje (salvo algum fato extraordinário). Deixo um pouco do clima de hoje... escute até o final...



PS: Saudades de quando o Hellhammer/Celtic Frost era uma banda boa.

Apostas encerradas

É. Ele voltou... mas sei que o bom humor me aguarda amanhã... agora tenho certeza.

"Woe to you, Oh Earth and Sea, for the Devil sends the
beast with wrath, because he knows the time is short...
Let him who hath understanding reckon the number of the
beast for it is a human number, its number is Six hundred and sixty six."

Olha só o que eu achei...

Comprei esse vinil no início dos anos 90. Na época, entidades de combate ao racismo meteram o pau no disco por causa de seu título ("Preto com um buraco no meio") e por causa de uma de suas músicas ("Mama Áustria", onde a letra diz: eu não sou neguinha... eu não sou negão... sou branco azedo, africano não!"). O que o povo esquece é que, também, o humor possui licensa poética (no caso, humorística). No link da música abaixo, vocês encontram todas as outras. Vale a pena ouvir. Aqui, deixo a minha favorita: "Diga". Toquei muito essa música junto com Henrique e Renato (Fourpigs). Afinal, o Demo também tem sentimentos...


A busca continua...


Continuo procurando meu mau humor... Começo a estranhar... Será que ele bate recordes desta vez? Pesquisando aqui no Junkie, o maior período sem mau humor deste ano foi de 24 dias (de 29/01 a 21/02). Façam suas apostas...

Faxina

Como minha vida ainda está em caixas, a espera do dia em que me mudarei para o apartamento por mim comprado, tenho que manter meu quarto arrumado pra poder conseguir me locomover dentro dele. Já não é muito grande e, em meio ao caos, fica pior ainda.

O meu quarto já estava uma zona... roupa pra passar junto com os brinquedos da minha filha, dvds, cds, guitarras, violão, enfim, caos.

Aí me lembrei de uma matéria que vi sobre pessoas que não conseguem se desvencilhar de nada. Nem de roupas velhas, brinquedos velhos, objetos velhos... até mesmo do lixo. E exemplificava com uma senhora que, desde que tinha se casado, nunca jogou NADA fora. A casa dela era um lixo.

Fiquei com medo de ficar assim e resolvi "baculejar" o recinto. Precisei mais arrumar do que jogar coisas fora. Pra falar a verdade, só achei uma escova de dentes gasta ocupando espaço. Pra que eu a estava guardando? Sei lá... foi para o lixo hoje de manhã...

PS: odeio passar roupa. Por isso elas se amontoam...

Música do dia

Just a little bit of this... a little bit of that...



PS: Marcelo Demo? É você? Tá tudo bem?

De novo...

Mais uma vez, o Junkie bate recorde de visitações.
Vocês estão procurando alguma coisa? Posso ajudar?
Acho que vou deixar o número da minha conta pra que cada um que entre deposite R$ 1,00. Vai dar uma grana massa...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Pergunta



Alguém viu meu mau humor por aí? Tô sentindo falta dele...

Aumentando a auto-estima (?)

Seria trágico se não fosse cômico. eheheheheheheh! As mulheres não dizem que quando querem levantar a auto-estima colocam um bikini e vão pra frente da primeira obra que tiver na rua? Minhas caminhadas da parada de ônibus até o trabalho tem sido bem divertidas.

É uma caminhada de 22 minutos que tem me rendido boas gargalhadas. Ontem, por exemplo, antes de chegar na Ponte da Boa Vista, uma lindíssima moradora de rua quando me viu, gritou:

- "Que homem lindo! Me leva com você..."

Nesse caso, não sei se ela tava me achando lindo mesmo ou se ela só queria arrumar um teto (sabe como é mendigo, né?). Por isso, nem fiquei tão lisonjeado... foi muito dúbio.

Hoje, já chegando no trabalho, vão passando pela rua as adolescentes que vivem numa casa-abrigo aqui próximo. Quando tô chegando na portaria pra pegar o crachá na bolsa (bolsa não... mochila.... bolsa é coisa de mulher), três dessas moçoilas param na minha frente e começam:

- "Menina... o que é isso?" (apesar da frase, foi em tom de elogio)
- "Filé, viu?" (na verdade, o "viu" dela deveria se escrever "vú")
- "Parece aquele cantor da garota safada"

Aí veio a peróla:

- "Se eu pego esse cabeludo ele é que ia ver o que era safadeza..."

Depois de tanto assédio, sorri na direção delas dando "bom dia" e entrei na TV, já temendo pela minha integridade física. Uma coisa ficou certa: eu não arrumo mulher se não quiser! Já, até, me imagino morando em alguns papelões a beira do Capibaribe com a primeira, ou dividindo a cama das 3 moçoilas na casa-abrigo. Aí, diante dessas situações, me lembrei do Carioca, grande amigo que agora é professor da rede pública no Rio de Janeiro. É dele a frase (perdoem a linguagem chula):

- "A vida é um mar de picas. Portanto, é melhor você pegar uma pequena e enfiar logo no rabo e ser feliz, antes que venha uma maior e ocupe sua cavidade anal mais dolorosamente". (linguagem adaptada para o Junkie).

Salve Carioca...

Música do dia

Acordar feliz dá nisso...



PS: devo reconhecer que uma das mais importantes invenções da humanidade foi o telefone. Salve Alexander...

Olha só...


O Junkie ontem (16/08/11) bateu recorde de visitações e de visitas de novos visitantes (redundância proposital necessária).

Parabéns Junkie... quem sabe você, um dia, você me dê dinheiro? Sweet ilusion...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Well, well, well...

Após dois dias com a cabeça confusa, consigo concatenar as idéias e tudo volta ao normal. Sei lá o que foi isso... homem tem umas coisas, viu? Sei não... mas o que importa é que, aparentemente, tudo voltou ao normal. O que não tem mais jeito não tem mais jeito mesmo, o que tá rolando, tá rolando mesmo e volto a dar importância ao que realmente importa: EU!

Depois de passar a tarde rindo no trabalho e me divertindo horrores com minha filha, calmamente vejo que, agora, não tem mais jeito de voltar a atrás... mesmo que eu quisesse! O que tem um lado muito bom: grandes perspectivas pela frente e algumas surpresas agradáveis (muito, ehehehehehehheeh).

Aos que seguem a jornada, como diz o Matanza:

"Quero que a estrada venha até você e o que vento esteja sempre ao seu favor..."

E pra terminar mais "Demo Way of Life", cito o sábio Roger:

"Não posso mais viver sem mim...". Ehehehehehehehehe

PS: um pouco de bom humor não mata ninguém (as vezes). Mesmo sem ter dormido... vai entender...

O sucesso do dia...

Foi só colocar esse clipe no programa de hoje e, pronto: criei monstros. Todo computador tá vendo esse negócio. Mas é bacaninha...




Lembrete pra mim mesmo (2)

O pior de ter insônia e não dormir é ter que me aguentar de mau humor. E se eu não me aguento, imagina você.

Da próxima vez, triplicar a dose de remédios.

Agora sim, Bom dia...

Bom dia, com Suicidal Tendencies... do fundo do baú... Anos 2000...



Ano 2000

Tá cada vez mais perto o dia em que completo dois anos sem fumar. Não que tenha perdido a vontade... apenas tenho conseguido me controlar. E espero não sentir mais vontade também. Afinal, que graça há em parar de fumar mas continuar com vontade?

Sei que está se fechando mais um ciclo... e toda vez que fecho mais um ciclo me remeto ao ano 2000. Se ele tivesse tido um outro desfecho...

O que é chato é que, apesar de ser o mais racional que consigo, já me vejo travando mais uma batalha entre a razão e a emoção. Eu mesmo digo: "mas já?". Quem sabe deixo a razão perder e desta vez vale a pena? Não sei... há uma vontade grande nesse sentido.

E quer saber? O que é mais uma cicatriz, não é verdade? Sempre se pode contar com os analgésicos, né?

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sempre o Black Sabbath



...sempre!

Odeio...


Odeio quando algo acontece e alguém aponta pra mim dizendo:

- "Eu avisei..."

Avisou sim. Se eu quisesse escutar, teria escutado. Apenas não me importo com sua opinião. Agora, por gentileza, se vanglorie em outra dimensão. Este que vos escreve continuará a ignorar solenemente sua opinião mesmo que ela esteja correta. Afinal, como disse, continuarei te dando a mesma importância de sempre...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O segredo para um casamento feliz.

Começo já dizendo que não sou a favor do casamento. Da junção de duas pessoas, sim, mas casar, nunca! Casamento é um protocolo desnecessário, criado para por ordem na suruba que nossos ancestrais vivam promovendo (e se deleitando... ah, povo feliz...).

Mas se você insiste em se casar, pare de procurar fórmulas mágicas para um casamento feliz. Não adianta ser mais atencioso, mais romântico, estar em forma, não levar a mãe pra passar temporadas em casa, não emperiquitar a casa com milhões de fru-frus, assistir ao jogo com ele, assistir a novela com ela, enfim, se você vai por aí, está vendo tudo sob um prisma errado.

Você tem que começar analisando as coisas que destroem um casamento. Muito se engana quem acha que uma traição é o principal motivo para o divórcio. Nã, nã, ni, nã, não... São as pequenas coisas do dia-a-dia que nos irritam e, por parecerem besteiras, vão se acumulando e, um dia, por um motivo ínfimo, explodem. Que coisinhas? Simples:

Ele: Tampa da bacia sanitária levantada; toalha molhada na cama; roupa suja espalhada pelo chão; latas de cervejas vazias jogadas pela sala; reunião dos amigos em casa para ver o futebol; dentre outras.

Ela: Calcinhas penduradas nas torneiras do banheiro; apropriação do armário do banheiro com a colocação extrema de absorventes, batons, sabonete íntimo junto do creme de barbear; levar a mãe pra passar as férias em casa; discutir a relação semanalmente, entre outras.

Usei exemplos clichês. Cada um tem suas manias. Manias que irritam sua cara metade. Então, qual é o segredo para um casamento feliz? É bem simples: CASAS SEPARADAS.

É tão óbvio que dói. As manias do dia-a-dia te irritam a um ponto que saber que seu conjugê respira próximo a você é motivo para 3ª Guerra Mundial. E no final do dia, vocês ainda vão dividir a mesma cama? Fala sério... é daí que vem os divórcios, brigas, assassinatos...

Então, se você quer se casar e quer que seu casamento dure muito, tenham duas casas. Fica até mais divertido. Vocês podem ficar brincando de "Na sua ou na minha?" como se ainda estivessem namorando...

Se a grana (na verdade, falta de) não permite esse mimo, então, no mínimo, vocês precisarão de quartos e banheiros separados. Não é tão eficaz, mas já quebra um galho.

No mais, se o casamento é inevitável, boa sorte! Relaxe e goze (enquanto pode).

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Escolhas da vida...




Fica difícil quando suas escolhas ficam entre o tédio ou os calmantes, não é verdade?

Mais uma vez, os franceses: c'est la vie!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Tira o tubo, tira o tubo...

Tiradas dos jornais:

# Organização dos Estados Americanos (OEA) "revela" que o sistema penitenciário brasileiro (incluindo, mais do que nunca o Aníbal Bruno) é vexame internacional.
- Acredito que a OEA tenha tido muito trabalho para chegar a essa constatação. Devem ter sido anos e anos de obrservação, pesquisa e estudos.

# As 2.700 vagas de zona azul para estacionar no centro do Recife são insuficientes para a demanda.
- Sério? Eu tinha uma certa desconfiança disso, mas achava que era besteira minha... coisa de quem não sabe dirigir. Na próxima encarnação, como disse meu amigo Fausto Ferreira, eu quero ser gerente de tráfego da CTTU. Não faz nada, constata o óbvio, recebe salário no final do mês e seus "clientes" nem precisam ficar satisfeitos pra que o salário seja depositado...

# O Estado do Rio de Janeiro vai ter que pagar uma indenização a um aluno da rede pública de ensino porque uma professora puxou sua orelha, conduzindo-o até sua banca e dizendo para o resto da classe: "que isto sirva de exemplo a todos".
- Considerando as histórias que um amigo meu, professor da rede pública carioca me conta, acho injusto essa indenização. Primeiro porque a mãe da "criancinha" (cujo a idade não foi citada, mas também, não importa) só entrou com a ação 2 anos após o ocorrido. Segundo porque tem alunos e alunos. Se o aluno está perturbando, tem mais que seré repreendido mesmo. Graças a falta de repreensões que o Brasil tem os políticos que tem. Alguns "alunos" acham que podem fazer o que querem em sala de aula. Esse meu amigo professor já foi ameaçada de morte várias vezes por seus alunos e alunas, que não ultrapassam os 15 anos de idade. Puxão de orelha? Eu mandava pra Febem direto.

É... me lembro de um personagem de Jô Soares, que estava internado em um hospital há algum tempo e, quando ouvia as notícias factuais, gritava desesperado: "Tira o tubo... Tira o tubo...". Tubo este que o mantinha vivo...

Por favor, me tirem o tubo...

Constatação

Vendo a quantidade de denúncias de corrupção nos 7 meses do governo Dilma, juntando com todas as denúncias do governo Lulla só posso chegar a uma conclusão:



SEMPRE houve corrupção no governo do Brasil. Só que antes do "PT way of life", as pessoas tinham vergonha e faziam de tudo pra esconder os roubos.

De Lulla pra cá, pronto: acabou a vergonha!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Entendendo...

Em tempos de crise (de criatividade), nada como ter um colaborador. Eis aqui mais uma colaboração de Rafael Araújo, um umbundsman da estupidez humana.

Trocando lâmpadas

Para você que não sabe bem como funciona uma emissora de TV, vamos imaginar que uma lâmpada queimou...

Quantos apresentadores de TV são necessários para trocar uma lâmpada?
Resposta: Nenhum consegue. Todos eles encostam a lâmpada no encaixe e esperam o mundo girar ao redor deles pra enroscar a lâmpada.

Quantos diretores de TV são necessários pra trocar uma lâmpada?
Resposta: Um, mas reclamando que não é iluminador pra estar fazendo isso.

Quantos cinegrafistas são necessários para trocar uma lâmpada?
Resposta: Dois. Um pra trocar a lâmpada e outro pra dizer que o colega não entende nada de iluminação

Quantos produtores são necessários pra trocar uma lâmpada?
Resposta: Dois. Um vai mandar a equipe de reportagem cobrir a troca e outro pega a nota pé(*).

Quantos repórteres são necessários para trocar uma lâmpada?
Resposta: Um com dez lâmpadas. Porque ele vai fazer passagem(**) trocando ela e vai errar pelo menos nove vezes.

Quantos editores de imagem são necessários para trocar uma lâmpada?
Resposta: Três. Um encaixa, outro finaliza enroscando bem e outro revisa ligando o interruptor.

Quantos editores de texto são necessários para trocar uma lâmpada?
Resposta: Nenhum. Ele dá a lâmpada para o editor de imagens trocar sozinho e diz que vai trocar outra lâmpada ali.

(*) Nota pé é como se fosse a resposta de alguém ou algo envolvido/citado em uma matéria
(**) Passagem é quando o repórter aparece na matéria. Normalmente vem no meio dela. No resto, você só escuta a voz do repórter.


Sei não...

As vezes eu acho que não há muito a se fazer. Coisa de deixar e deixar ser levado. Mas gosto disso não, apesar de não conseguir fazer muita coisa contra.

Acredito que, assim como eu, ninguém goste quando as coisas não tomam o rumo planejado. Dá uma sensação de tempo perdido enorme... e tempo é dinheiro. Deve ser por isso que vivo liso.

Sei não... acho que tô precisando de um desfibrilador. Como diria Ace Frehley: "Shock me... make me feel better..."

Talvez sejam só divagações de uma segunda-feira... maybe... tomara!

Abandono

O mundo tá ficando chato e eu sem criatividade. Ou pelo menos, sem conseguir expressar meu ponto de vista de maneira que valha a pena perder alguns segundos lendo-o. Como dizem os franceses, c'est la vie.

É que eu tô descobrindo que sou aquele chato que é chato. Explico: tem pessoas que são tão chatas, que todo mundo usa como exemplo; são tão chatos que sempre são assunto de discussão, rodas de conversa, tipo seu Lunga.

Eu sou aquele chato que é um saco. Afinal, minha chatice não é engraçada (consequentemente, eu também não), não é polêmica, enfim, é um saco.

Aí fica a pergunta: como é que eu me aguento? Sei lá... talvez Deus saiba... Mais uma vez cito os franceses: c'est la vie!

E assim ficam os votos de uma boa segunda a todos (se é que isso é possível).

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Falta de humor...

O mundo tá ficando um lugar muito chato devido aos "politicamente corretos". Fala sério. Hoje em dia você tem que tomar muito cuidado com o que diz, analisar se não está, mesmo sem querer, difamando alguma minoria (e são tantas minorias hoje em dia que já se tornaram maioria).

A constatação veio num show que fiz sábado. Analisando direitinho, uma ou outra letra dessa banda em que toco tem cunho homofóbico. Mas como a banda é velha, essas letras foram feitas quando nem se sonhava em criar a palavra homofobia. E não é homofobia no sentido de incitar a violência contra gays, lésbicas, etc, etc, etc. Tudo sempre foi uma questão de fazer piada.

Não sou homofóbico e respeito o direito de todos serem o que quiserem: homossexuais, pan sexuais, metro sexuais, emos, torcedores da cachorra de peruca, etc. O que eu acho um saco é a falta de senso de humor de certas pessoas.

Assim como se zoam hetéros, se zoam não hetéros. Só que quando a gozação (no bom sentido) é com os não héteros, é crime. E quem defende os héteros, categoria cada vez mais em extinsão? Brincadeiras a parte, não acho necessário que haja uma defesa... é necessário bom senso.

Eu sou a favor do fim da violência. Não me importa se contra gays, héteros, lésbicas, emos, pagodeiros... Afinal, quando se comete uma violência contra um gay, se comete uma violência contra um ser humano, não é verdade? Abaixo a violência contra todos os seres humanos. Ou gays são diferentes?

Diga não violência e sua incitação. Mas deixe o humor quieto, sem restringí-lo. Depois eu que sou mau humorado. Pronto. Falei!

De volta...

Depois de quase 7 dias com dor de cabeça ininterrupta, finalmente meus neurônios podem descansar em paz e eu volto ao Junkie... é uma boa desculpa para ser anexada a minha falta de assunto. Mas que a dor foi um inferno foi... Mal dava pra concatenar as idéias.

É por essas coisinhas que, as vezes, acho que um analgésico se iguala ao sexo. Afinal, quando passa a enxaqueca... ou melhor, a cefaléia (porque enxaqueca é coisa de mulher), a sensação é de um orgasmo múltiplo.

Nota: preciso começar a fazer sexo com fins medicinais. Creio que tenha resultados mais imediatos e, talvez, mais duradouros.