quarta-feira, 29 de junho de 2011

Nem tudo...

Duas notícias me chamaram a atenção hoje.

Mais um surfista é atacado por tubarão. Um estudante estava surfando na praia do Pina (Recife), quando foi atacado por um tubarão. Ele estava surfando com mais 10 amigos, mas ele foi o escolhido e teve a perna quase arrancada no ataque. No local existem placas que avisam que a prática do surf naquela área é proibida. A placa foi ignorada.


Menino de 12 anos morre após cair de ônibus onde estava "amorcegado". O fato aconteceu no bairro de Tejipió (Recife). "Amorcegar" é o ato de se pendurar em um ônibus (geralmente nas laterais do veículo, segurando em alguma janela) para viajar de graça. O garoto estava amorcegado, não conseguiu se segurar e caiu, morrendo em seguida. Andar de ônibus "amorcegado" é proibido, mas a proibição foi ignorada.

Logo, chego a conclusão que nem tudo acaba impune no Brasil.

Gostei da campanha...








Gostei da campanha. Não preciso dizer mais nada!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Perguntas inquietadoras




Da série perguntas que nos deixam perplexos ou sem respostas:


Por que é proibido mostrar o rosto de assassinos, quando presos, mas é permitido mostrar o corpo, ainda que desfocado, de suas vítimas?


PS: Existem mais perguntas inquietadoras no Junkie. Basta você digitar "inquietadoras" na busca e elas aparecem.

É... só aqui mesmo...

Veja só que legal! CRIMINOSOS presos por praticarem:

1) Furto simples

2) Porte e disparo de arma de fogo

3) Cárcere privado

4) Corrupção de menores

5) Formação de quadrilha

6) Homicídio culposo

7) Armazenamento e transmissão de pornografia infantil

8) Assédio a criança

9) Violência doméstica;

Entre outros, a partir de segunda, 04/07, não precisarão mais ser presos. Podem pagar fiança que varia de 1 a 10 salários mínimos. Não é bacana? E a medida não vale só pra quem for preso a partir de 04 de julho. Outros presos que aguardam julgamento poderão sair e caminhar livremente pelas ruas.


Em pernambuco significa 30% da população carcerária atual. Trinta por cento dos presos vão poder sair da cadeia e voltar a praticar crimes tipo os citados acima, como se já não bastasse os que andam livres por aí.


A medida, segundo a OAB, visa diminuir a superlotação dos presídios no Brasil. Aí, depois, o povo reclama quando outros países ficam putos com a "política" tupiniquim e impõem sanções, mesmo que diplomáticas.


Devido a farra da impunidade brasileira, o país tem sido o destino preferido de bandidos julgados em seus países e que, para não serem presos, escolhem o Brasil para passar o resto de suas vidas... livres... sem punição. Ladrão de trem inglês, nazistas alemãos, traficantes sulamericanos e terroristas italianos tem na Terra Brasilis o refúgio ideal para descanso e trabalho. Trabalho? Bandido trabalha com o que mesmo?


Bom... mas vamos comemorar a nova lei federal que vai acabar com a superlotação dos presídios.

Lembra de mim?

Quem faz esse tipo de pergunta tá querendo te sacanear. Pode ter certeza. Normalmente quem faz esse tipo de pergunta te viu e/ou esteve com você uma única vez e, provavelmente portador de um grande ego, acha que você tem a obrigação de se lembrar dele.



Se você é um bom fisionomista, decora nomes com facilidade, consegue atribuir nome à pessoa e ainda gosta de ser simpático, responda. Mas se você for uma pessoa como eu, que tem uma memória muito ruinzinha, quando consegue lembrar um rosto não consegue lembrar do nome (e vice-versa) e não faz a mínima questão de ser simpático, muito pelo contrário, faça o que eu faço: coloco um sorriso no rosto, viro pra pessoa e digo com boa dicção:


-"Não... deveria?"


A honestidade tem me economizado muito tempo. Tempo em que eu ficava arrumando desculpas, dizendo "lembro, sim... e aí? Tem visto a galera?" e tantas outras perguntas e frases no intuito de descobrir de onde eu conhecia tal pessoa. Esse tempo passou... graças a Deus. Mesmo porque, quem pergunta "Lembra de mim?" bem intencionado é que não tá. No mínimo te encontrou por aí e vai pedir algo. Afinal, deve existir algum bom motivo pra que você não tenha mantido contato com essa pessoa, não acha?


E vou mais além... quando é alguém que você lembra, e lembra que a figura em questão é muito chata/porre/mamão/pé no saco/indigesta/etc, a resposta é a mesma, só que sem o sorriso no rosto:


-"Não... deveria?

quarta-feira, 22 de junho de 2011

São "Jam" Imbluseirado




O texto é de Kco Correa. Achei massa, por isso tô publicando.










SÃO “JAM” Imbluseirado

Venho com poucas palavra
Distrinchá meu repertório
Com rima imbluseirada
...Sem temer no oratório
Dizer tudo que sinto
Como um piar de um pinto
Invoco até Jacco Pastório

Se não há mais namorada
Leve a dor que você tem
Beba uísque e cerva gelada
Gastando menos de um vintém
Ouvindo Jack, Jonh, Credance
Dance, grite, beba e pense...
..."Ela num é mais de ninguém!"

No São João duma turma de fudidu
Brilhamos mais de que a luz
Tocamos como nus Estaduzunido
Com rima que nóis conduz
Com viola, baixo, e, as vezes, bateria
Onde alegria e poesia
Recebe nome de BLUES

Em meio ao clima de fogos e fogosas que viemos mais uma vez convidar a todos para mais uma tertúlia musical no BANQUETE, com muito Blues, soul, funk, groove, grow, black, Bone, Blue, Wow, muito som e rock'n Roll.

Sendo assim permanece a promoção de músico pagar a entrada com SERVIÇO e QUEM LEVAR ALIWTON ESTÁ DISPENSADO DO COUVERT. Um beijo a todos, esperamos que Xandinho do Má Companhia cumpra com sua palavra de um dia quem sabe pintar por lá, nem que seja pra falar mal dagente... Xerunda!!!

Serviço:
O que? São Jam Imbluseirado
Quando? Sábado, 25/06/11
Onde? Banquete (Rua do Lima, em frente a TV Jornal)
Que horas? A partir das 22hs.
Informações: 3423 9427

QUEM CHEGAR POR ÚLTIMO É A MULHER DO PADRE!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Saudades...

Um ano sem...



Hernando Flores Rojas


07/03/1941 - 20/06/2010


Saudades...

Antes de me perguntar...

Bom... muita gente já sabe, mas sempre tem uns desavisados. Então pra não ter que aturar gracinhas de minha parte, antes de me perguntar sobre os meus plaos para o São João saiba que:


1) Não danço forró, que é o que, na minha opinião, faz o povo gostar de São João. Além de não dançar, só respeito o forró pé-de-serra. E respeito não é o mesmo que escuto.

2) Amo, do fundo do meu coração, odiar fogos de artifício. Odeio com paixão mesmo.

3) Não gosto de comidas de milho.

4) Odeio ficar com os olhos irritados por causa das fogueiras.

5) Não gosto de quadrilha.

Bom... tendo deixado tudo isso bem claro, você tem certeza que quer me perguntar sobre meus planos para o São João?

10 anos sem Boom Boom

Hoje fazem 10 anos da morte de John Lee Hooker (22/08/1917 a 21/06/2001) teve o “Boom” de sua carreira em 1948 quando ele alcançou sucesso com o compacto "Boogie Chillen", apresentando um estilo meio falado que se tornou sua marca registrada. Ritmicamente, sua música era bastante livre, uma característica que ele tinha em comum com os primeiros músicos de delta blues. Sua entonação vocal era menos associada à música de bar em relação aos outros cantores de blues. Seu estilo casual e falado errado seria diminuído com o advento do blues elétrico das bandas de Chicago mas, mesmo quando não estava tocando sozinho, Hooker mantinha as características primordiais de seu som.

Hooker gravou mais de 500 músicas e aproximadamente 100 álbuns, morreu de causas naturais enquanto dormia em 21 de junho de 2001 na sua casa em Los Altos, California. Foi casado e divorciado 4 vezes, teve oito filhos e era dono de um clube noturno em São Francisco chamado "Boom Boom Room".

Salve Johnny Lee...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Frases



"Armas só são perigosas se você não sabe usá-las. Afinal, todo homem tem um pênis mas nem toda mulher tem um orgasmo!"


Ouvi pela TV, mas não vi o autor. Assim que descobrir, coloco.

Ah... já ia esquecendo...



Fiquei sabendo hoje, através da minha amiga Angélica Mascaro, que fui selecionado para uma oficina sobre blogs que será ministrada por uma empresa de comunicação daqui.






Quem sabe assim eu aprendo, né? Fica a esperança...

E por falar em táxi...

Eu sempre fui um liso metido a merda. Metido a merda porque, apesar de liso, tenho gostos caros e uma das coisas que fazia muito (notou o verbo no passado? É...) era andar de táxi. Não é por nada não. Como nunca tive a menor vontade de aprender a dirigir (e ainda não tenho) e ônibus não me apetecem pelo risco de algum estranho querer puxar conversa, o táxi sempre foi uma opção plausível (menos quando o motorista quer ser "legal" e fica tentando puxar conversa). Mas isso mudou...


Lembra quando a gente dizia (ok... mas pelo menos eu dizia) "Ainda bem que o trânsito daqui não é como o de São Paulo" ? Pois é... O trânsito daqui já é um inferno (levando-se em conta as proporções de cada estado). Não há mais vantagem nenhuma em andar de táxi. Pelo menos pra quem tem pressa. Na minha humilde opinião, o ônibus acaba sendo a opção mais rápida (nos casos de haver corredores exclusivos no percurso) e, óbvio, econômica.


Outro dia estava tentando imaginar o que deixou o trânsito assim. A primeira culpa é de Fernando Henrique Cardoso que, após criar o plano real, tornou possível pra qualquer pobretão (inclusive eu) comprar um carro. Isso levou a um número que não sei se é real (me foi dito por um taxista), mas é bem possível que seja. Segundo a "fonte", 4 mil novos carros passam a circular por mês no estado. Desses, mil e quinhentos vão para o interior do estado, ficando 2.500 a mais para circular pelas ruas do Grande Recife todo mês. Ruas estas que são as mesmas já há séculos e não crescem junto com o número de carros. E um último motivo (porque não tô afim de citar a qualidade de certos "motoristas"), que é o mais óbvio e na cara de todo mundo, os buracos que se multiplicam e se perpetuam nas vias públicas.


Considerando que o mercado imobiliário está aquecido, com cada vez mais garagens por apartamentos, tudo indica que daqui a bem pouco tempo estarei considerando seriamente a possibilidade de me locomover via bike. Em tempos atuais, ninguém vai me chamar de liso por isso. Muito pelo contrário: terei, assim, a pecha de politicamento correto, preocupado com o meio ambiente. Ser liso tá ficando chique.

E eu que achava que era só nos ònibus...

Sábado, após passar a tarde com a minha filha, pego minhas coisas e saio em direção ao Banquete, fazer o blues de todos os sábados. Pensando na minha segurança, decidi deixar o ônibus e pegar um táxi.

Cara... quando entrei no dito-cujo, o cheiro de álcool imperava... e não era álcool combustível. Pelo menos não combustível de veículos. Os olhos do taxista não poderiam estar mais vermelhos... nem que ele tivesse fumado 50 gramas num baseado só.Pedi pro "motorista" abrir a janela (senão, já iria chegar bêbado no Banquete). Resolvi fazer uma piadinha:

-"O carro é a álcool?"

Falei rindo. Me arrependi pro resto da minha vida. O "motorista" pensou que eu estivesse sendo simpático e começou a falar, conversar, etc. Sei tudo sobre a parca vida do miserável. E olhe que o "cába" tinha do que se lamentar, viu?

Resultado: fiquei puto, sóbrio aguentando bebo, sufocado pelo cheiro de álcool alheio que, pra piorar, estava dirigindo o carro que me levava ao Banquete. Se eu já não sou o mais corajoso quando ando de carro, imagine a situação. Pelo menos cheguei inteiro...

Muito bonzinho...

Lembro de um programa que eu assistia na minha infância/pré-adolescência, que tinha o Miele. Acho que se chamava Planeta dos Homens (ou algo assim). Era um programa de humor onde supracitado sempre encontrava uma gringa (que fez um papel pequeno numa dessas novelas das 8, onde Gianechinni era um vilão que fazia par com Mariana Ximenes. Bem... a gringa era a secretária dele, que morreu ao entrar em um elevador que não estava onde deveria estar) e perguntava sobre o dia-a-dia. Todo mundo querendo ver a gringa nua e ela não percebia. De tão ingênua que era seu personagem, seu bordão se tornou: "Brasileiro é tão bonzinho..." E o quadro fechava com a cara de safado do Miele.

Nesse tempo, o "bonzinho" era de gentileza... escondendo malícia, mas gentileza. Hoje, sou eu quem diz "Brasileiro é tão bonzinho"... mas o "bonzinho" que digo é de quase otário!

Calma... eu explico.

As ruas das cidades estão tomadas por crateras. Não sei nos outros países, mas no Brasil, o asfalto parece ser feito de Sonrizal: basta chover que se dissolve. E, apesar da situação ser gritante e denunciada quase que diariamente, o problema não é resolvido por quem devia e o brasileiro, fora reclamar (e apenas reclamar verbalmente; para seus amigos que também passam pela mesma situação, também reclamam, mas não fazem obras para prefeituras, etc), não faz nada. Continua pagando o IPVA numa boa... Brasileiro é tão bonzinho...

Segurança, educação, saúde, etc, não são mais precários por falta de tempo. Só aqui em Pernambuco, em cada jornal você lê diariamente, no mínimo, sobre 3 homicídios (no mínimo, faço questão de ressaltar) ocorridos na noite anterior; fora um sem número de assaltos, furtos, agressões, etc.

A educação é uma piada. Professores fingem que ensinam a uma turba (isso mesmo, turba) de moleques que nem fingem estar interessados em aprender. A remuneração do profissional que ajuda a formar o caráter do seu filho é uma droga que mal dá pra comprar as drogas que a turba usa em sala de aula (ou nas proximidades). E olha que Oxi e Crack custam de R$ 2,00 (Oxi) a R$ 10,00 (Crack). Não vou nem falar em alimentação, transporte, moradia, etc.

Saúde? Só depois de espirrar e se tiver alguém do lado. Alguém já parou pra analisar como é agonizante morrer hoje em dia? Se você sofrer um acidente, mesmo que tenha plano de saúde, primeiro você é levado pra um hospital público, onde vai penar algumas horas até que alguém arrume uma ambulância pra lhe transferir a um hospital privado. Isso se tiver plano de saúde... se não tiver, vai continuar penando, sofrendo, esperando a hora em que alguém vai olhar e dizer: é uma virose. Te dá uma aspirina e te manda embora. O que acaba sendo bem melhor pois, pelo menos, você morre em casa e, venhamos e convenhamos, mesmo que você more numa palafita, ainda é o conforto do seu lar.

Não preciso continuar a lista de deficiências do país. Acho que quem, por ventura, esteja lendo isto, já deve conhecer tudo isso e muito mais... E lê, sabe de tudo isso e continua passivo, aceitando tudo e, o que é pior: continua pagando seus impostos esperando que as coisas se resolvam por encanto.

A única coisa que me falta perguntar é: até quando o brasileiro vai aceitar a tudo isso passivamente ? É passivamente sim, afinal, apenas falar, reclamar não muda a situação. E não adianta vir com aquela história de que "eu, sozinho, não consigo mudar nada" porque, por exemplo, no mundo jurídico, basta uma pessoa no país ganhar uma ação indenizatória que ela já serve de precendente para ações vindouras (taí a dica!).

Até quando o brasileiro vai ser tão bonzinho? Se mexe, povo...

PS: Depois de ler isso, vai me dizer que você não se sentiu um pouco otário? Nem por ter perdido tempo lendo algo que você já sabia e, mesmo assim, você permite que continue?

Momento coruja (ou melhor, corujão)

Toda segunda-feira é um inferno! Essa afirmação é quase totalmente verdadeira. Ela tem uma variável. Explico:

Acordei às 5 horas da manhã, pra tomar banho com uma água fria (quase polar) infernal (eu sei.. afirmação paradoxal, mas bem clara), e isso não ajuda ninguém a ficar de bom humor. Mas é que minha filha dormiu comigo...

Enquanto me arrumo pra ir trabalhar, ela acorda, me ve, abre os braços em minha direção, ri, me dá um beijo e um abraço e diz:


-"Bom dia papai... quero ir pra sala!" (sempre que ela acorda, quer sair o mais rápido possível da cama... vai entender... crianças...)

Por isso a variável. Se minha filha dormir comigo do domingo pra segunda, a segunda não será um inferno. Explicado?

PS: Eu sei, eu sei... mas é que eu sou pai de primeira viagem, ainda me deliciando com os prazeres proporcionados pela cria durante sua infância...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Frases Idiotas 6



"Os homens envelhecem; as mulheres apodrecem."


Lucas Sena. Estagiário e "profundo conhecedor" das mulheres no auge dos seus 20 anos...

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Necessidade...

Eu, realmente, preciso aprender a não me estressar. Ou, pelo menos, me estressar menos com as coisas. Já não tá me fazendo bem.

Tá certo... a idade tem contribuido também. Cada vez mais me surpreendo com minha capacidade de ser ranzinza, arrogante, etc. Talvez, realmente, isso piore com a idade. Mas isso não isenta a necessidade de uma vida mais tranquila, mais amena.

Talvez o segredo seja não dar tanta importância as coisas; empurrar as coisas mais com a barriga. Talvez... mas como nunca foi o meu perfil, venho pagando o pato.

E um pato muito indigesto por sinal. Sempre levo as coisas a ferro e fogo. E isso, definitivamente, não é bom.

Acho que vou fazer Yoga, acupuntura, virar ermitão, emburrecer, sei lá... Mas algo precisa ser feito.

E enquanto não consigo fazer nada, é bom escolher logo um plano de saúde. Sei lá, né?

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Frases Idiotas 5






"Todo bandido tem ética. Toda profissão tem seu código de ética"


Jeferson Badan, advogado de defesa do "cidadão" acusado de participar do assassinato de um estudante da USP dentro do campus universitário.

Desde quando bandido é profissão?

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Choro desanimado

Duas frases que ouvi na TV me motivaram a escrever. A primeira, ontem a noite: “Todo mundo deve estar chorando”. A segunda, hoje pela manhã: “Os primeiros meses de governo foram desanimadores...”

A primeira foi dita por Galvão Bueno durante a transmissão do jogo de despedida de Ronaldo o ex-fenômeno e atual balofo (devido ao hipotireoidismo, ok, mas Balofo). Depois de constatar que Casagrande estava emocionado pelo evento, Galvão, conhecido por sua boca “adubada” (entendam como quiserem...) soltou essa: “Todo mundo deve estar chorando”. Concordo e discordo.

Concordo que muita gente deveria estar chorando por ver o maior artilheiro de copas do mundo, um cara que tinha uma habilidade ímpar, estar passando por aquele vexame; por vontade própria. Podia ter se aposentado sem se humilhar, sem pagar aquele mico, sem jogar futebol sem ter a mínima condição. Em campo, ele foi, apenas, menos um. Ou melhor, ele foi um... peso morto. Três oportunidades de gol (uma desperdiçada de maneira cinematográfica) e nada! Em outros tempos...

E discordo do choro pelo seguinte motivo: por que cargas d’água eu que, como muitos milhões de brasileiros, passo os dias ralando pra ganhar uma miséria deveria estar chorando pelo fim de “carreira” de um cara que não precisa mais trabalhar? Que ganhou milhões jogando bola? Fala sério... No máximo, respeito o que ele foi na área dele... Ache ruim quem quiser.

A segunda frase foi proferida por Miriam Leitão, a quem tenho admiração por sua competência. Ela se referia aos primeiros meses do governo da “presidenta” Dilma. “Os primeiros meses de governo foram desanimadores”. Concordo em gênero, número e grau. Dilma não é tão palhaça quanto Lulla... Foi-se o palhaço, ficou a anta. E uma anta que nem graça tem (e que vai arcar com as consequências do governo Lulla mais pra frente... e mais pra frente eu vou explicando...). Os primeiros meses de trabalho não tiveram nenhum resultado, não surtiram nenhum efeito, o que já estava continuou, o que não estava, continua sem estar, enfim, não fez nada. Até os escândalos em seu governo são sem graça (não menos dantescos, mas sem graça).


Logo, com a humilhação de Ronaldo Balofo, e com o desanimado governo Dilma, o povo brasileiro tem mais é que estar chorando e sem graça. E eu... bom eu fico rindo, porque há um “Q” de judeu em mim (mas só no humor).

terça-feira, 7 de junho de 2011

Senso...

Eu queria saber por que o povo acha que o simples fato de gravar um CD já lhe dá o direito de aparecer na TV. Pra ser mais específico, na TV em que trabalho. Fala sério... O povo deveria ter mais senso... de ridículo.

É porque vocês não imaginam a quantidade de "artistas" que tem nessa terra (e cada vez vai surgindo mais). Cada um deles já se acha um Paul McCartney; cada banda já se acha os Beatles, todos merecedores de adentrarem nas casas de milhões de pessoas que tem a TV ligada.

Gostaria de me considerar um "tratador"; alguém que recebe tudo, retira o lixo e envia pra casa das pessoas apenas o que presta; o que tem qualidade...

Mas, infelizmente, qualidade é algo que não dá audiência. Lixo dá audiência... muita... Isso explica, então, a programação das TV's abertas. E a culpa é de quem faz a TV? Não... a culpa é do povo. Na verdade, a culpa é da educação dada ao povo... mas essa história é tão antiga, se fala tanto nisso, que retiro a culpa do governo e a ponho no povo mesmo, que apesar de saber disso, não cobra, não reclama, se cala e, assim, consome porcaria (e propaga a porcaria como praga).

A ignorância é uma benção, já diziam os Ramones. Quanto mais ignorante uma pessoa, mais feliz ela é. Se contenta com pouco, exige pouco e escuta essas coisas.

Aos menos de 10% dos artistas que enviam material com qualidade, minhas mais sinceras desculpas. Mas como disse acima, qualidade não dá audiência.

PS: mesmo assim, eu ainda teimo e arrisco um ou dois dias sem uma audiência tão grande, se é que vocês me entendem. Infelizmente não posso fazer isso sempre... paciência.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Educação (?)

Muito raramente eu posto no Junkie conteúdo de e-mails que recebo. Mesmo porque, se eu recebi, meio mundo já deve ter recebido também. Mas recebi um hoje que, por mais que ele já tenha rodado as caixas de entrada do mundo, considerei valer a pena postá-lo aqui, já que vivo falando da falta de educação do povo... ei-lo:

Relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.


Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.
Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.

Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi
assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o
lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2010:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

7. Em 2020 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00.
Se você souber ler, coloque um X no R$ 20,00.
(Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder).
( )R$ 20,00 ( )R$ 40,00 ( )R$ 60,00 ( )R$ 80,00 ( )R$ 100,00

E se um moleque resolver pichar a sala de aula e a professora fizer com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.