domingo, 27 de fevereiro de 2011

Venhamos e convenhamos


Eu reconheço que estou velho demais para o carnaval. Tem gente que diria que eu estou velho e ponto final. Uma coisa é fato: não tenho mais saco para a folia momesca. Talvez seja porque os últimos 14 anos eu trabalhei no carnaval. Bem provável...

Mas o fato é que eu não pretendo mais ser espremido contra milhares de pessoas suadas, debaixo de um sol caucinante em troca de uma "alegria" (?) provinda sabe-se lá de onde (e sei lá se acharia alguma). Atualmente, nem doses cavalares de álcool conseguem me entorpecer a ponto de querer estar nos focos de folia.

Mais uma vez, nos 4 dias, vou trabalhar, coordenando transmissões. Mas desta vez eu tenho que agradecer a coordenadora do carnaval da TV que, miraculosamente, conseguiu me tirar da transmissão do Galo da Madrugada.

O Galo da Madrugada é a sucursal do inferno na terra. Nunca vi nada mais dantesco do que o "maior bloco de carnaval do mundo" (diga-se de passagem, que título inútil, não é verdade?). Mais de um milhão de bebados contra você, pobre profissional de imprensa que não teve a sorte de ser inteligente e ter escolhido outra profissão.

Não consigo entender o que faz um ser humano deixar o aconchego de seu lar (por mais mocambo que seja) para ir ser esmagado (sim, porque no galo, ninguém é espremido... é esmagado). E me deixa mais estupefato ainda (ou "incrível", como dizem por aí a fora) a idiotice e irresponsabilidade de alguns "pais" que levam seus rebentos, ainda de colo, para o meio do inferno. Em todas as transmissões que fiz desse suplício, sempre vi os postos elevados do corpo de bombeiros e/ou da PM repletos de crianças desmaiadas. Povo totalmente sem noção que faz isso com os filhos pelo simples prazer de dizer: "É folião desde pequeno". Fala sério.

Isso sem falar que já vi de tudo no Galo. Uma vez, passaram diversas pessoas pelo meu ponto para denunciar que tinha um cidadão com um espeto de churrasco furando as pessoas. Depois da quarta pessoa fazendo a mesma denúncia, fui avisar a PM sobre a suspeita. Nessa hora, abre-se um buraco em meio a multidão (até hoje não sei como isso é possível no Galo) e
tchan: tá lá um cara apanhando por estar furando o povo com um espeto de churrasco.

E sabe por que o povo que sai no Galo anda pulando? É pra quando subir, poder respirar. A multidão é insuportável. Quando os trios vem, as pessoas não vão embora. Então imagine um lugar onde já não cabia nem mais um agulha de tanta gente, no momento em que os trios chegam. Deus me livre... e nesse meio tempo, mais gente vai chegando.

Lembro que em outra transmissão, que fiz a serviço da BAND/SP, levei meia hora para atravessar a rua. Daí, você que nunca foi ao Galo, tira o quanto é insuportável, quente, incômodo, desnorteante, enfim, ruim estar ali. Mas tem gente que gosta... pra ser extao, tem mais de um milhão de pessoas que gostam. Vai enteder...

Este ano, eu que sempre terminava minhas orações dizendo "...e livrai-me do Galo, amém!", queria agradecer primeiramente a Deus por ter ouvido minhas orações, e a Luciana Campelo, por ter conseguido me livrar da transmissão do maior espremedor de gente do mundo. Vou trabalhar os 4 dias de carnaval sim. Mas feliz por escapar do Galo.

Você vai para o Galo? Venhamos e convenhamos: você tem problemas...

Eu me divirto...

As vezes, quando o ócio reina e o tédio é master, eu faço uma "blitz" no Google com meu nome pra saber o que andam colocando sobre mim na rede. Sempre me divirto com os erros dos colegas dos impressos.

No "baculejo" de hoje achei perólas como eu produtor de um bloco de carnaval; eu tocando num dia em que eu não toquei; palavras que eu nunca disse como se tivessem sido ditas por mim; entrevistas comigo que eu nunca fiz...

Como disse, eu me divirto... ehehehehehehehehe

Pra matar a secura...

Bom, enquanto o carnaval não acaba, fica a secura de tocar. E, pra matar um pouco a secura de tocar, fica aqui o video de "Canudinho", cantado por Bella Carrazone, acompanhada pela Handmade blues and friends.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Já que é pra esculhambar...


Eu sei que os interesses econômicos disvirtuam valores e tradições. Isso desde que o mundo é mundo. Mas existem algumas coisas que eram sagradas, até pouco tempo atrás, como futebol e o carnaval de Pernambuco.
Bom... o futebol, todo mundo tem acompanhado.

E, agora, o carnaval de Pernambuco virou piada. A programação anunciada parece a programação do carnaval da Bahia, com direito a ressucitar bandas mortas até do Rio de Janeiro. Até o Galo da Madrugada, tão tradicional que era, tá trazendo Paulo Ricardo. Como disse um amigo meu, ele deve vir cantar a música do Big Brother em ritmo de frevo, né? Se é que isso é possível... e mesmo que seja, quem vai querer ouvir essa merda?

Sendo assim, já deixo meu pleito pra que, no ano que vem, o carnaval de Pernambuco tenha as seguintes bandas:

Matanza, Ultraje a Rigor, Velhas Virgens, Mopho, Ratos de Porão, Garotos Podres, Fourpigs (PE), Rodrigo Morcego (PE), Midnight Man (PE), Uptown Band (PE), Epcos (PE), Devotos (PE), Dodge Band (PE), Handmade Blues (PE), Recife Blues band (PE), Olinda Blues Style (PE), entre outras.

Se puder trazer alguns nomes internacionais, sugiro Ozzy, Metallica, White Zombie, The Black Crowes, The Rolling tones, Red Hot Chilli Peppers, Eric Clapton, Joe Bonamassa, Pink Floyd (mesmo sabendo que, agora, eles só se reúnem pra salvar o mundo)...

Bom... são só alguns nomens... afinal, não é pra ser Multicultural? Se é pra esculhambar, eu também esculhambo...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Frases idiotas 2


- "Deixa comigo!"


Nessa frase cabe uma indagação: quem é mais idiota? Quem disse a frase somente por dizer, ou você que acreditou?

Isto é Brasil


Deixando meu lado torcedor de lado, só mesmo no Brasil um time de futebol perde (ou divide) um título por causa de politicagem. Isso graças a influência de um mafioso como Ricardo Teixeira. Mafioso e todo mundo sabe.

Somente no Brasil um mafioso como Ricardo Teixeira é tão influente... Maluf é ficha limpa...

Agora, voltando ao meu lado torcedor, CHUPA CACHORRA DE PERUCA. Manda lavar o uniforme que aquela estrela em cima do escudo é sujeira...

Frases idiotas


"O sol é a ponta do baseado de Jah".


Isso é sério? Pqp... Isso chega a ser uma ofensa a inteligência (?) dos maconheiros...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Só pode ser...


A Vênus Platinada babou tanto Ronaldo, o fenômeno gorducho, desde que ele se aposentou que, como disse um amigo meu, mais dia, menos dia ele vira comentarista da Globo, ao lado de Arnaldo César Coelho, Falcão, G. Bueno e os outros...

Será que o povo brasileiro merece mais isso?

Olha só quem apareceu...


Olá mau humor. Tudo bem? Senti sua falta... seja bem vindo!

E o prêmio "Destaque" vai para...


Trabalhei na última sexta na transmissão do Baile dos Artistas. Foi uma transmissão tranquila, sem nenhuma grande bronca, tudo graças a um ótimo time de profissionais.

O pessoal de video mandou ver. Cheff Wellington, Ciro Bezerra e Dona Verinha (personagem de Bobby Mergulhão) fizeram uma transmissão bem dinâmica.

Sem querer menosprezar o trabalho do Cheff nem de Ciro, queria destacar a atuação de Bobby. Nunca havia trabalhado com ele ao vivo. Claro: Bobby é um excelente ator, de raciocínio rápido, com uma grande veia cômica... mas nunca tinha visto ele tendo que se virar no imediatismo do ao vivo, coisa que não é fácil e quem faz sabe o que é.

Bobby, com ajuda da trupe de Cinderela, mandou muito bem durante todas as suas entradas. Na minha opinião, um verdadeiro destaque na transmissão.

Como disse, sem menosprezar o trabalho do Cheff Wellington nem de Ciro... mas é que esses dois já são "p**as velhas" no assunto... Bobby é que era estreante.

No fringir dos ovos, tudo foi show.

Em contra-partida...

... descubro que o editor já tinha adiantado uma matéria das obrigatórias e que está pronta para ser exibida hoje. E ainda tenho uma cortesia do repórter Adriano Pádua, que fez uma versão da matéria com o BSB para o programa.
Tá... beleza... efeitos da segunda meio que atenuados...

Segunda-feira


A segunda-feira começa descobrindo, tardiamente (óbvio), que o despertador não tocou (ou você não ouviu). Você descobre isso uma hora depois...

Daí você tem aquela brilhante idéia: "Já que tô atrasado, vou pegar um táxi pra ganhar tempo". Você sai de casa, entra no Táxi e pede, por favor, pra ir pela avenida Boa Viagem... sabe como é... menos trânsito.

Quando você chega na avenida Boa Viagem você passa a ter certeza de que fez pole dance na cruz enquanto Jesus era crucificado, que você foi Judas em outra encarnação, e contempla o trânsito total, absoluta e irrestritamente parado. Sem andar.

Daí, você chega na trabalho, pagando mais caro que a corrida normal, afinal, ficou muito tempo parado com o taxímetro rodando, e um pouco mais tarde que se tivesse ido de ônibus, e descobre que não tem como adiantar sua vida pois seu trabalho depende de uma terceira pessoa que nã chegou ainda, muito provavelmente pelos mesmos motivos que você teve.

Então, o fato de ter esquecido os óculos escuros e a faixa tensora para o braço que sofre do terrível mal de epicondilite lateral passam a ser meros detalhes insignificantes.

Segunda-feira... sempre vai ser uma segunda-feira...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Baile dos Artistas


Minha maratona profissional-carnavalesca começa hoje, coordenando a transmissão do Baile dos Artistas.

Pra quem não sabe, Sodoma e Gomorra foram queimadas por muito menos do que acontece lá. Pelo menos eu fico dentro do carro de transmissão...

Se alguém vai pela primeira vez ao Baile dos Artistas, um conselho: por mais gatas que apareçam e deem mole, não agarre ninguém. Você pode ter uma surpresa desagradável, eheheheheheh.

Importante


Com o desaparecimento (pelo menos até agora) do meu mau humor, o Junkie anda um pouco abandonado, é verdade. Como já disse antes, não forço a barra para escrever. Não me é estranho saber que a minha maior fonte de inspiração para escrever seja meu mau humor. Estranho o fato de estar sem ele. Bom... mas como dizem os franceses, c'est la vie.

A verdade é que os comentários feitos pelos (poucos) leitores (esporádicos) do Junkie estavam se tornando mais divertidos que os meus pobres "textozinhos". Mas tudo tem limites...

Antes que tentem transformar o Junkie num fórum para debates, ando brincando de censor. Portanto, ficar batendo na mesma tecla por muito tempo é uma coisa do passado. Somente eu posso ser repetitivo aqui. Afinal, o Junkie é uma DEMOcracia (trocadilho infâme, eu sei, mas ele explicita bem o que quero deixar claro).

No mais, vida longa e próspera a todos. Ou não...

Pelo inusitado...

Ficou bacana... pelo inusitado... Com um bom ouvido e um pouco de tecnologia, tudo se transforma.

Recife Antigo



Outro dia recebi pelo FB uma espécie de manifesto, encabeçado pelo bar Downtown, que achei louvável, mas não sei o quanto será eficaz, já que não depende de quem assina e assume a causa do manifesto. O tal supracitado faz referência ao estado de abandono do Recife Antigo, a ilha do Recife. E é fato. Nunca vi aquele pedaço de cidade tão jogado ao léu.

Lembro, há alguns anos atrás, quando governo municipal, junto com a iniciativa privada, resolveram revitalizar a área. Começaram ali pela área do Bom Jesus. Uma infinidade de bares e restaurantes foram abertos e a rua ficava lotada de consumidores e frequentadores, entre assíduos e/ou não. Era bacana... um pouco caro o preço cobrado, mas era bacana... O outro lado da ilha, onde fica a rua da Moeda, ficou com a promessa de passar pelo mesmo processo. Lembro que, nessa época, Roger de Renor fechou a saudosa Soparia para abrir o Pina de Copacabana lá na rua da Moeda. Afinal ele tinha a promessa de revitalização da área.

Não só pela promessa. O antigo Pólo Pina, onde ficavam meus bares preferidos (a Soparia e a Oficina Mecânica) também precisava de revitalização, já que os esgotos corriam pela rua exalando aquela fragência maravilhosa, que sempre inibia o apetite e aumentava o consumo alcóolico na tentativa de entorpecer o olfato.

Bom... sei que a promessa não foi cumprida. Muito pelo contrário. O Recife Antigo foi abandonado totalmente pelo poder publico, consequentemente pela iniciativa privada. A rua do Bom Jesus, que antes tinha suas calçadas lotadas de pessoas e mesas, hoje tem apenas o Cyber Café Caravelas e mais um bar em frente. O lado da Rua da Moeda continua no mesmo abandono de sempre.

E pior: esse abandono fez com que a Ilha do Recife fosse dominada pelos traficantes de crack (também loló e maconha). Você não consegue ir ao Recife Antigo sem ser abordado por um dos "meninos" que vendem os psicotrópicos (voláteis ou não). Tudo isso sem a menor vergonha, sem o menor receio. Mesmo que, por muitas vezes, anunciem seus produtos na frente de guardas municipais e PM's, que olham passivos todo aquele movimento. Sei que vivemos em tempos onde policiais são assaltados e que os bandidos perderam o medo da polícia. Mas será que precisa ser assim?

Esses mesmos traficantes fizeram com que outros bares, como o Bar do Metal, fechassem as portas. Bares como o Caravelas, Burburinho, Casa da Moeda, Pina de Copacabana, entre os outros que ainda existem ali, conseguem se manter por oferecem uma boa programação cultural e, principalmente, por terem um público que, apesar de reclamar, ainda continua frequentando a área, independente dos traficantes.

Aí, depois de todo esse texto que ficou longo, eu pergunto: o que é necessário pra que governo e polícia tomem uma atitude? Pergunto porque o problema já foi citado em uma revista de circulação nacional, já foi alvo de algumas reportagens e, mesmo assim, nenhuma providência é tomada. Alguém, então, poderia me explicar o motivo?

O manifesto continua correndo pela internet. Se você o receber, assine. É um movimento justo por uma boa causa que é o lazer sem riscos de estar no meio de traficantes.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

MP4

Dando sequência as tentativas de amenizar os impactos da segunda-feira, inclui mais algumas músicas no play list do meu MP4. Algumas vão entrar no repertório da Handmade Blues. E, mais uma vez, surtiram efeito no começo da segunda-feira. São elas:
Rod Stewart - Hot Legs
Stealers Wheel - Stuck in the middle with you
BTO - Taking care of business
The Sugarhill Gang - Rappers delight
E "vamo que vamo".

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Só sendo mesmo...


Ontem eu tive o prazer de ouvir uma piada tão ruim, mas tão ruim, que acabou engraçada e me dando margem a complementá-la. Tô eu assistindo TV quando uma figura solta a pérola:

- Sabe por que só o Sport sai no jornal dia de domingo?

- Não...

- Porque domingo é dia de classificados...

Bom... a piada (é sério... isso foi uma piada...) acaba aí. Claro que eu não podia deixar de acrescentar o seguinte:

- Sabe por que só a cachorra de peruca sai no jornal de dia domingo?

- Não...

- Porque domingo é dia de classificados e eles tão precisando de atacante, zagueiro, meias, técnico, etc, etc, etc...

Justiça seja feita: só não precisam de goleiro.

Ah, cachorra de peruca...

Blues no Banquete

Povos e povas que visitam o Junkie. A partir de amanhã, 12/02/11, o blues no Banquete, o famoso blues dos sábados, está suspenso em virtude da folia momesca. Mesmo porque eu fui escalado pra trabalhar em todas as transmissões de bailes, prévias e qualquer coisa que tenha, pelo menos, um latinha sendo espancada em ritmo de carnaval.

Sendo assim, se você quer ouvir blues neste período, recomendo que você compre/baixe/alugue muitos Cd's e DVD's do gênero e espere o frevo passar.

Assim que o Carnaval passar, a Handmade Blues volta a ser sua anfitriã aos sábados lá no Banquete.

Até lá, bom carnaval. E lembre-se: se beber, use camisinha!

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Meu primeiro fã.


Eu juro que me divirto e nunca imaginei que o Junkie fosse ser tão divertido. Recebi um comentário sobre o meu post do dia do frevo com o qual estou rindo até agora. Eu ia públicá-lo, mas como sou meio antinha, acabei clicando no botão errado e apagando o mesmo. Mas como recebo comunicados de comentários no e-mail, não o perdi e o coloco no lugar de destaque que merece. Muita emoção. É o primeiro comentário de fã anônimo, de sexualidade duvidosa (sem eufemismos, por favor. Apenas por não ser identificável). O/A fã diz o seguinte (ips literis)

"Liso é tu Demo voce não é músico e nunca foi então antes de falar de Frevo pense e fique nos bregas da tua vida."


Não é lindo? Eu fiquei comovido. Tanto com o carinho como com a pontuação. Me lembra muito o português de alguém com quem já trabalhei (e prefiro não citar quem é).


Também me comovi com sua capacidade de interpretação de texto. É única e particular (sua). Nossa... quanta perspicácia. Sua capacidade de análise do óbvio ululante é digna da NASA.


Realmente não sou nem nunca fui músico. Se o quisesse ser, teria estudado para tal. Como não o fiz, apenas toco pra me divertir... não é estranho? Tem gente que toca mesmo sem ser músico... Daria um ótimo enredo para um episódio de Arquivo X.


Como meu Q.I me permite divagar sobre outros estilos além do brega da minha vida sem que eu passe vergonha (por favor: isso não foi uma indireta pra você, querido/a fã), escrevi sobre o frevo. Mas se você tivesse prestado um pouquinho só de atenção, teria visto que não escrevi sobre o frevo diretamente. Escrevi sobre o pernambucano, cheio de "góga", que diz que adora frevo mas da boca pra fora. Não falei mal do frevo.


E mesmo que tivesse falado mal, o Junkie é um espaço pra que eu escreva o que EU quiser, quando EU quiser, não me importando se vai agradar a você ou a qualquer pessoa. Mas saiba que eu faço isso com o maior carinho. Agora, mais do que nunca, sempre que escrever, vou pensar em você. Espero que você volte mais vezes e me brinde com suas poucas palavras de sapiência, mesmo que você não saiba nada sobre pontuação. No Brasil, me acostumei a interpretar o português errado, tanto falado, como, principalmente, escrito. Por isso, volte.


Este que vos escreve espera ansioso por mais perólas de interpretação e análise.


Beijos


Demo


PS: Tive o carinho de, para não falar com o vazio, lhe atribuir um avatar. Espero que você goste.

É toda uma conspiração


Como vocês podem ter notado, diminuiu a periodicidade com que posto "textozinhos" aqui no Junkie. É que, tenho que admitir, ando de bom humor. Não me surpreende o fato de saber que minha maior fonte de inspiração é o meu mau humor. Me surpreende é estar sem ele.


Já fazem alguns bons dias em que ando assim. Mas parece que há um complô cósmico para que esse estado de espírito não vingue... não permaneça. Desde que voltei a trabalhar tudo tem acontecido pra ver se meu mau humor volta. Não vou negar que sinto um pouco a falta dele. Mas assim também já é demais


Ilha de edição lenta dos infernos, estagiário cometendo acidente na mesa de corte com o programa do ar, um calor que faz o inferno parecer fresquinho, ônibus que quebra, banda que o cantor principal não vem, ar condicionado da sala funcionando apenas no período da manhã, o liseu eterno (e cada vez mais profundo), enfim, toda uma conspiração cósmica-kármica para que eu desista do bom humor e volte ao meu estado natural... Talvez seja um chamado da natureza... quem sabe?


O que sei é que, só pra variar um pouquinho, vou continuar contrariando o óbvio mantendo meu bom humor. Pelo menos até onde eu aguentar...


Alguém quer fazer uma aposta?

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Dia do Frevo


Há 104 anos, era publicada em um jornal, pela primeira vez, a palavra "frevo", definindo o ritmo mais pernambucano que existe. Pernambucano adora bradar aos 4 cantos que adora frevo, que frevo é tudo, etc, etc, etc...

Mas a realidade do dia-a-dia me mostra uma coisa:

- Nem no carnaval a maioria dos pernambucanos escuta frevo.

- Fora do carnaval, nenhum pernambucano lembra que ele existe a não ser que esteja com algum turista e queria fazer mais "góga".

- Músicos que tocam frevo não ganham dinheiro e, quando contratados por prefeituras, etc, demoram horrores pra receber um cachê mixuruca.

- Quando o programa resolve fazer o mês do frevo, só levando atrações do gênero, a audiência cai vertiginosamente.

-Todo pernambucano diz que prefere frevo do que axé, mas os evento abaianados são lotados e os com frevo quase vazios.

Enfim, pernambucano é cheio de "góga" quando fala de frevo, mas não tem o respeito que diz ter pelo mesmo.

Mesmo assim, meus cumprimentos a todos aqueles que exaltam e enaltecem o ritmo que faz multidões ferverem, mantendo vivo o ritmo renovando-o. Salve maestros; salve Spok; salve Maestro Forró.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Still Got The Blues for you, Mr. Moore

O mundo perdeu hoje (06/02/11), logo nas primeiras horas, mais um excelente músico. Ex-integrante da lendária Thin Lizzy, Gary Moore, um dos virtuosos da guitarra, com estilo único e impecável, silenciou sua guitarra hoje, deixando uma fenda no mundo da música.

O motivo da morte ainda não foi divulgado. Mas já sabemos que vamos sentir falta.

Fica, aí, uma maneira de reverenciar tudo o que ele foi..

Still got the blues for you, mr. Moore..


sábado, 5 de fevereiro de 2011

Oh yeah....

- Faz tempo que você não vai pra casa?

- Cara... eu vou agora, em agosto... Sabe o que eu vou fazer?

- Não... o quê?

- Vou para a 10º Reunião Anual da minha turma da escola...

- Por favor filme e traga pra gente exibir...

- Quer ir comigo?

- Não creio que eu tenha muitos amigos na sua escola...

- Nem eu... é por isso que eu vou...

(...)

- Você acha que vai ter muito a dizer a seus amigos de escola?


- Cara... eu vou rir muito...


- Você não tinha muitos amigos na escola?


- Eles me ridicularizaram na sala de aula, na cidade, no estado, cara. Agora EU estou voltando...


Janis Joplin, sendo entrevistada no Dick Cavett Show.
Esse é o espírito!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Coisas que nunca vi...



Tem aquelas clássicas como ex-anão, ex-gay, enterro de anão, etc, etc... mas dando uma repaginada na história, aqui vão algumas que, mesmo que alguém tenha dito antes, eu não ouvi, portanto, partem de constatações minhas...


- Mercedez Benz, BMW, Honda Civic, Hiunday, etc, com adesivos do tipo: "Foi Deus quem mim (SIC) deu..."; "Quando Deus quer é assim"; "Não mim (SIC) inveje, trabalhe...".

- Maluf assumindo que é culpado.

- Policial prender traficante na Rua da Moeda (Recife Antigo)

- Muçulmano bebado